PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Poluição do ar na Índia desafia primeiro-ministro reeleito

Rajesh Kumar Singh, Debjit Chakraborty e Anindya Upadhyay

27/05/2019 06h28

(Bloomberg) -- Um dos maiores desafios que o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, terá de enfrentar quando começar seu segundo mandato é conseguir um ar mais limpo em um país com algumas das cidades mais poluídas do mundo.

A Índia tem queimado mais carvão para fornecer eletricidade barata a seus 1,3 bilhão de habitantes, contaminando o ar em vastas áreas. A poluição tem causado mortes e reduzido a produtividade econômica do país, levando a uma revisão das políticas de meio ambiente. A poluição do ar e como os partidos políticos planejam enfrentá-la foram tópicos incluídos pela primeira vez nos programas de governo das eleições nacionais que terminaram em 23 de maio.

Esforços no passado para descontaminar o meio ambiente esbarraram na questão de custos. As usinas movidas a carvão da Índia, que estão entre as maiores poluidoras do ar apesar de dominar a oferta de eletricidade barata, têm sido lentas na implementação de padrões de emissão, citando custos. Uma campanha para substituir a lenha por combustível limpo em casas rurais precisaria ter custos acessíveis para uma maior implementação.

As medidas que deveriam ser adotadas pela administração Modi incluem o fortalecimento das distribuidoras de energia elétrica. A reforma das distribuidoras de energia será crucial para a transição rumo a uma eletricidade mais limpa, embora mais cara. As perdas do segmento aumentaram de abril a dezembro, revertendo uma tendência de queda. Esforços para incentivar o setor durante o primeiro mandato de Modi surtiram certo efeito, mas não foram completamente bem-sucedidos.

Outra medida seria garantir a implementação de normas de emissões para usinas termelétricas no prazo adequado. Uma das razões pelo atraso nesse processo seria uma possível relutância dos bancos em financiar retrofits em um setor que já enfrenta uma pilha de empréstimos de risco. Ajustes nas distribuidoras de energia com prejuízo seriam chave para resolver os problemas de inadimplência.

Acelerar o aumento da capacidade em energia renovável, permitindo que a rede possa administrar o crescente fluxo de energia intermitente, também seria um passo importante, além de elevar o uso de biomassa para energia, ajudando a reduzir a dependência das importações de petróleo e evitar a queima de resíduos de plantações, um dos principais poluidores do ar no norte da Índia.

Repórteres da matéria original: Rajesh Kumar Singh em Nova Délhi, rsingh133@bloomberg.net;Debjit Chakraborty em Nova Délhi, dchakrabor10@bloomberg.net;Anindya Upadhyay em Nova Délhi, aupadhyay22@bloomberg.net