IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Bairro de Lagos, na Nigéria, emerge como polo tecnológico

Yinka Ibukun e Gwen Ackerman

11/06/2019 08h34

(Bloomberg) -- As fachadas desbotadas de prédios centenários em um bairro da megacidade nigeriana de Lagos abrigam um polo de tecnologia vibrante que chamou a atenção do Facebook e do Google.

O bairro de Yaba, sede da Faculdade de Tecnologia de Yaba e da Universidade de Lagos, é um ecossistema tecnológico emergente -- em 2013, havia menos de 10 startups e hoje conta com mais de 60, incluindo empresas como o site de reservas Hotels.ng. Também hospeda laboratórios digitais do banco mais antigo da Nigéria, o First Bank of Nigeria, e a Stanbic IBTC, subsidiária do maior banco da África.

"Lagos, como outras grandes cidades como Nairóbi e Acra, está no auge dessa empolgante expansão em inovação em tecnologia, com uma rápida ascensão de Yaba", disse Chimdindu Aneke, gerente de programa de parcerias de plataformas para a África Subsaariana do Facebook, que no ano passado instalou um centro tecnológico no bairro.

Fola Olatunji-David, responsável de serviços de sucesso de startups para o Google Launchpad Africa, que iniciou um treinamento em Yaba em 2017, disse que Lagos tem uma "sensação dinâmica, característica de 'tudo pode acontecer'", alimentada por empreendedores que buscam abordar desigualdades socioeconômicas com a tecnologia do Google.

Yaba ganhou destaque de forma gradual, impulsionado por um movimento de base que pressionou por apoio do governo, inicialmente não totalmente convencido dos benefícios econômicos trazidos tecnologia. A primeira conquista do grupo veio em 2013, quando, ancorado pelo Co-Creation Hub, que agora administra um espaço para o Facebook e parceiros, juntamente com o Google, para implementar programas, convenceu as autoridades a conceder incentivos fiscais para uma empresa, a MainOne, que fechou um acordo para instalar a infraestrutura de Internet de Yaba.

"Foi assim que o Yaba foi concebido: para demonstrar o poder das pessoas conectadas e o impacto socioeconômico que isso teria", disse o executivo regional da MainOne para a África Ocidental, Kazeem Oladepo.

Ido Sum, um dos sócios do fundo de capital de risco TLcom Capital, que comanda um escritório em Yaba, vê Lagos, uma cidade com 20 milhões de pessoas, emergindo como o centro tecnológico da África.

"Se você tem fome de investimentos na África, está ficando claro de que Lagos é uma das primeiras opções", disse Sum, que investe no continente há oito anos. A TLcom possui três de seus cinco investimentos na Nigéria, como a Kobo360, com sede em Yaba, e descrita por Sum como o Uber para motoristas de caminhão.

Repórteres da matéria original: Yinka Ibukun em Lagos, yibukun@bloomberg.net;Gwen Ackerman em Jerusalém, gackerman@bloomberg.net

Mais Economia