IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Europa está aquém de metas de combate ao desmatamento, diz IDH

Áine Quinn

11/06/2019 07h44

(Bloomberg) -- Empresas europeias não estão fazendo o suficiente para desacelerar o desmatamento devido às grandes compras de commodities, como soja e óleo de palma, de fontes insustentáveis, de acordo com a Iniciativa de Comércio Sustentável (IDH).

Como as florestas sendo derrubadas para produzir madeira e abrir espaço para culturas como soja, cacau e óleo de palma, ou azeite de dendê, restam menos árvores para absorver o dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa. Embora empresas europeias tenham mostrado alguns avanços no combate ao desmatamento, ainda não atingiram as metas de compra de commodities de produção sustentável, segundo relatório da IDH, com sede na Holanda.

O desmatamento de florestas continua a uma "taxa alarmante", disse Daan Wensing, diretor da IDH. "A Europa está perigosamente atrasada quando se trata de cumprir suas promessas de compra responsável e sem desmatamento."

A União Europeia quer liderar a batalha contra o aquecimento global e impôs restrições ao uso do óleo de palma, pois a produção do produto causa desmatamento e agrava as mudanças climáticas. Mas países produtores dizem que as acusações são enganosas e prejudiciais para os países que dependem do setor. Por exemplo, as exportações de óleo de palma renderam US$ 17,8 bilhões à Indonésia no ano passado, e o setor contribui com cerca de 3,5% do PIB do país.

A parcela global de terras cobertas por florestas caiu de forma constante, de 31,6% em 1990 para 30,7% em 2017, segundo dados do Banco Mundial. O desmatamento também afeta a biodiversidade, destruindo os habitats dos animais.

Alguns países superam outros quando se trata de comprar commodities produzidas de forma sustentável. Os Países Baixos compraram 83% da soja consumida em conformidade com as diretrizes dos fabricantes europeus de rações, enquanto essa parcela foi praticamente zero na Itália, Portugal e Espanha. Quase todas as compras de óleo de palma da França são certificadas como sustentáveis, em comparação com menos da metade na Itália e Espanha.

Em 2010, as empresas que participaram do Consumer Goods Forum se comprometeram em eliminar o desmatamento por meio de compras responsáveis de bovinos, óleo de palma, celulose, papel e soja. Em outro relatório divulgado na terça-feira, o Greenpeace disse que uma área igual ao tamanho da Espanha terá sido destruída para a produção de commodities no período entre 2010 e 2020.

Mais Economia