PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Google acelera transferência de produção para fora da China

Debby Wu e Mark Bergen

12/06/2019 08h46

(Bloomberg) -- O Google está transferindo parte da produção dos termostatos Nest e hardware para servidores para fora da China, de modo a evitar as tarifas impostas pelos Estados Unidos e a crescente hostilidade por parte do governo em Pequim, de acordo com pessoas com conhecimento do assunto.

O Google já transferiu grande parte da produção de placas-mãe destinadas aos EUA para Taiwan, evitando assim uma tarifa de 25%, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas comentando assuntos internos. Autoridades dos EUA identificaram placas-mães fabricadas na China como um risco à segurança, mas o Google não mencionou o fato durante conversas com fornecedores, segundo as fontes. Com as tarifas, Taiwan e Malásia também intensificaram a produção de dispositivos Nest para o mercado americano, disseram as pessoas.

A produção de hardware do Google na China é minúscula em comparação com o volume produzido pela Apple, mas a transferência pode sinalizar uma tendência mais abrangente à medida que as tensões entre Pequim e Washington aumentam. O gigante de buscas dos EUA consegue alguma receita publicitária no país e já explorou formas para atrair consumidores e empresas na segunda maior economia do mundo, desde o compartilhamento de ferramentas de inteligência artificial até mesmo um serviço de buscas censurado.

Mas o Google agora amplia sua pegada em outro lugar: a empresa anunciou em março um novo campus em Taipei e disse que vai aumentar a força de trabalho na ilha, embora não esteja claro se isso estaria relacionado à diversificação dos locais de fabricação. O Google não quis comentar sobre ajustes de produção.

Entre o hardware do Google sobrecarregado com tarifas mais altas, as placas-mãe de servidores são fundamentais para as operações do gigante de tecnologia. A empresa monta seus próprios centro de dados nos EUA e em outros lugares. Esses hubs de computação ajudam a oferecer ferramentas de pesquisa e produtividade em uma plataforma de serviços em nuvem, além de fornecer energia à maior plataforma móvel do mundo, bem como serviços de mapeamento e pesquisa.

--Com a colaboração de Gerrit De Vynck.

Repórteres da matéria original: Debby Wu em Taipé, dwu278@bloomberg.net;Mark Bergen em São Francisco, mbergen10@bloomberg.net

PUBLICIDADE