IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Softbank lidera injeção de US$ 300 mi na Gympass

Fabiola Moura

2019-06-12T04:45:00

12/06/2019 04h45

(Bloomberg) -- O Softbank Group está liderando uma rodada de investimentos de US$ 300 milhões (R$ 1,15 bilhão) em uma startup brasileira que combate o sedentarismo, tornando as academias mais acessíveis.

A Gympass, fundada em 2012, fornece passes mensais para mais de 2.000 clientes corporativos, para que eles possam cofinanciar seus funcionários e incentivá-los a praticar atividades físicas. Atualmente, possui uma rede de 47 mil academias cadastradas, incluindo os tradicionais estúdios, mas também atividades que vão de yoga e ballet ao treinamento de alta intensidade e artes marciais.

"Não há nada melhor do que um modelo globalizável", disse Shu Nyatta, investment partner do Softbank, em entrevista por telefone. "No caso do Gympass, eles criaram um modelo muito atraente e realmente sabem como executá-lo, então não há razão para que eles não se tornem uma empresa global."

A empresa, que começou no Brasil e mudou sua sede para Nova York em 2018, planeja usar o novo financiamento para crescer ainda mais nos 14 países em que já opera, entre a América Latina, os EUA e a Europa, e entrar na Ásia, disse o cofundador e presidente, César Camargo, em entrevista por telefone.

Os atuais acionistas da Gympass, que incluem a General Atlantic, Atomico e Valor Capital Group, também investirão mais dinheiro na empresa. Enquanto o Softbank preferiu não comentar sobre a sua parte do investimento, o principal investidor normalmente contribui com metade ou mais da rodada de financiamento. Incluindo o dinheiro novo, a avaliação da Gympass já está acima de US$ 1 bilhão, disse Carvalho, sem fornecer mais detalhes.

O dinheiro do Softbank vem de seu fundo Vision Fund de US$ 100 bilhões e seu Latin America Fund de US$ 5 bilhões, ambos com foco em investimentos em tecnologia. O SoftBank e seu fundador, Masayoshi Son, investiram nos estágios iniciais de algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo, incluindo Alibaba e Uber, tornando-se o investidor dos sonhos no ecossistema de startups.

"Nós realmente queremos criar empresas da Fortune 50 da América Latina", disse Nyatta, do Softbank, na entrevista. "Houve uma escassez de capital para os empreendedores da região pensarem grande e é por isso que estamos aqui."

Fundo investiu em outra startup brasileira

No Brasil, o Gympass é o segundo cheque multimilionário que o Softbank preenche em menos de um mês. Também investiu na startup de logística Loggi, que visa entregas no dia seguinte no Brasil, país de dimensões continentais.

A Gympass focará principalmente na expansão nos EUA e em mostrar às empresas os benefícios que ela pode oferecer à força de trabalho de potenciais clientes, disse Carvalho, de 35 anos. Para o nativo de Alfenas, Minas Gerais, que se mudou para Nova York junto com a sede de sua empresa, o principal desafio da Gympass é tirar as pessoas do sofá.

"Precisamos ajudá-los a descobrir que tipo de atividade física eles amam", disse Carvalho em entrevista por telefone de Londres. Atualmente, ele está experimentando todas as academias de Nova York que estão credenciadas na Gympass e está praticando yoga, já que o tênis --que era seu esporte preferido no Brasil-- está fora de alcance na cara Manhattan.

Mais Economia