PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Visa e Mastercard se unem ao Facebook para criar moeda digital

Julie Verhage, Jenny Surane e Kurt Wagner

18/06/2019 12h31

(Bloomberg) -- Se a nova moeda digital do Facebook funcionar de acordo com as expectativas, um dia poderia competir com as gigantes de pagamentos Visa, Mastercard e PayPal. Mas, por enquanto, todas as três estão preparadas para trabalhar com a plataforma de redes sociais no projeto.

A moeda, chamada Libra, será lançada já no ano que vem. É chamada de stablecoin, ou moeda estável, que poderia evitar grandes flutuações de valor e assim ser usada para operações do dia a dia. Especialistas e empresários do setor dizem que as empresas de pagamentos querem sentar à mesa para ajudar a desenvolver a nova moeda.

"Não é raro que os que já estão no mercado - Visa, Mastercard, PayPal - façam parceria com aquele que causa a ruptura", disse em entrevista Harshita Rawat, analista do Sanford C. Bernstein. "Pelo menos querem participar de como este produto está sendo desenvolvido."

Novos métodos de pagamento, como o Apple Pay e outras carteiras digitais, costumam demorar mais para decolar, portanto, é provável que a concorrência para os líderes do setor esteja a anos de distância. Ainda assim, o quanto antes empresas de pagamentos tradicionais entrarem no projeto, mais tempo vão ter para evitar um impacto sobre seus negócios.

Nenhuma dessas empresas tem titubeado em buscar parcerias ou outras oportunidades estratégicas. O PayPal gastou bilhões de dólares em aquisições ou investindo em parcerias, assim como seus concorrentes. Embora o PayPal não tenha se aventurado em criptomoedas antes, sempre defendeu a tecnologia blockchain, que será usada para desenvolver a Libra.

Visa e Mastercard estão sempre procurando ganhar espaço em novas formas de pagamento. Ambas firmaram parcerias com empresas de criptomoedas e blockchain e disseram que a Libra pode ajudar mais pessoas a obter acesso a produtos financeiros.

"Acreditamos que as criptomoedas possam resolver casos de uso que realmente não são bem atendidos hoje", como áreas em que pagamentos em dinheiro ainda predominam, disse Jorn Lambert, vice-presidente executivo de soluções digitais da Mastercard. "Assim, achamos que será um adicional ao que fazemos, e não uma substituição."

As empresas de pagamento fazem parte da Associação Libra, o que lhes dá poder de voz sobre como a criptomoeda é desenvolvida. Por enquanto, não foram estabelecidos compromissos de prazo. Portanto, os associados podem sair a qualquer momento. Quando a carta constitutiva do grupo for finalizada, haverá um compromisso de tempo mínimo, segundo alguns membros do grupo que pediram para não serem identificados.

"Minha sensação é que farão o melhor possível para se associar e se envolver com o Facebook", disse Rawat. "Se o Facebook entender que elas querem desintermediar os pagamentos com cartão, então acho que talvez não queiram participar."

Repórteres da matéria original: Julie Verhage em Nova York, jverhage2@bloomberg.net;Jenny Surane em Nova York, jsurane4@bloomberg.net;Kurt Wagner em São Francisco, kwagner71@bloomberg.net