Topo

Mercado de minério dividido entre anúncios da Vale e Rio Tinto

Thomas Biesheuvel

19/06/2019 11h32

(Bloomberg) -- O mercado de minério de ferro, que enfrenta um ano difícil, recebeu duas notícias de impacto nesta quarta-feira.

Primeiro, o anúncio da Vale sobre a autorização para reativar as operações em um de seus maiores projetos, a Mina de Brucutu, o que deve ajudar a reduzir as preocupações sobre a oferta global. No entanto, minutos depois, a Rio Tinto, segunda maior mineradora do mundo, disse que não vai conseguir atingir sua meta de produção para este ano, que já havia sido reduzida, depois de problemas em suas operações na Austrália Ocidental.

O mercado de minério de ferro está sob pressão desde janeiro, quando o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, reduziu drasticamente o fornecimento de minério de ferro da maior exportadora do mundo. Esses cortes da oferta foram agravados por problemas operacionais na Austrália Ocidental, onde a Rio Tinto e a BHP Group possuem minas.

Os anúncios da Vale e da Rio Tinto seguem uma valorização dos preços do minério nos últimos dias, com as cotações no nível mais alto em cinco anos. Os preços foram puxados pelo impacto do corte de oferta no Brasil e pelo mercado apertado na China, onde os estoques de portos estão em queda e as siderúrgicas produzem em volumes recordes.

A Rio Tinto, com sede em Londres, agora espera produzir de 320 a 330 milhões de toneladas de minério de ferro este ano, abaixo da meta anterior de 333 milhões a 343 milhões de toneladas. A retomada das atividades da mina de Brucutu da Vale pode adicionar 5,4 milhões de toneladas este ano, segundo a BMO Capital Markets.

"O impacto líquido dos anúncios da Rio Tinto e da Vale sinaliza uma redução ainda maior da oferta de minério de ferro em um mercado já apertado", disse o analista da BMO, Edward Sterck. "O aumento dos preços do minério de ferro não deve ser descartado, mas ainda achamos que o preço é suficiente para estimular a oferta" de grandes produtores.

A Rio Tinto já havia cortado a estimativa em abril depois que um ciclone atingiu suas operações na Austrália, reduzindo a meta original de 338 a 350 milhões de toneladas. A BHP, terceira maior produtora de minério, também reduziu sua meta, aumentando as preocupações com a oferta.

Economia