PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Fundador da Hon Hai quer que Apple transfira produção para China

Debby Wu

21/06/2019 07h35

(Bloomberg) -- O fundador da Hon Hai Precision, maior fornecedora da Apple, pediu que a empresa americana transfira parte de sua extensa cadeia de produção da China para Taiwan.

"Estou insistindo para que a Apple se mude para Taiwan", disse o bilionário Terry Gou, maior acionista da Hon Hai, ao responder a uma pergunta sobre se a Apple iria transferir sua produção da China para outro país. "Acho que é muito possível", disse sem dar detalhes.

A ameaça da administração Trump de impor tarifas sobre cerca de US$ 300 bilhões em produtos fabricados na China - como telefones e laptops - alimenta rumores de que a Apple vai desviar parte de sua capacidade instalada da segunda maior economia do mundo. E a Hon Hai é a maior entre centenas de fornecedores da Apple com fábricas na China continental, onde fabrica a maioria dos iPhones vendidos mundialmente, na cidade chinesa de Zhengzhou.

Caso a Apple transfira uma parte significativa de sua produção da China para Taiwan - que Pequim vê como parte de seu território -, a decisão pode aumentar as tensões entre os dois governos. A Hon Hai, principal divisão da Foxconn Technology com ações em bolsa, é hoje a empresa privada com o maior número de funcionários na China, com cerca de um milhão de trabalhadores migrantes nas linhas de produção da Apple.

Gou renunciou ao cargo de presidente do conselho da Hon Hai na sexta-feira para tentar conseguir a nomeação de seu partido e concorrer às eleições presidenciais de Taiwan em 2020. A Apple responde por metade da receita da Hon Hai. Não se sabe o volume de capacidade que Gou pode estar se referindo, nem quão viável seria uma mudança em grande escala para a Hon Hai ou qualquer outro fornecedor da Apple.

Empresas de Taiwan que montam a maioria dos eletrônicos do mundo agora expandem ou abrem unidades no sudeste da Ásia e em outros países para escapar de tarifas sobre mercadorias com destino aos EUA. Mas grande parte da capacidade continua enraizada na China. O jornal Nikkei relatou esta semana que a Apple pediu que seus maiores fornecedores avaliassem os custos de transferir de 15% a 30% de sua produção da China para o Sudeste Asiático, mas três grandes parceiros da empresa americana não teriam concordado com a ideia. A própria Hon Hai disse que a Apple não solicitou tal medida.

PUBLICIDADE