IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Guia sobre dança das cadeiras dos principais cargos na UE

Bloomberg News

21/06/2019 14h32

(Bloomberg) -- Pela primeira vez na história da União Europeia, os principais cargos estão sendo disputados ao mesmo tempo, do nome de quem comanda o Banco Central Europeu até quem lidera o braço executivo do bloco. É um jogo complicado, com interesses nacionais e partidários conflitantes.

A Alemanha e a França são fundamentais nesta dança das cadeiras, mas todos os países vêm com suas bagagens e demandas, dispostos a fechar acordos nos bastidores. Confira alguns destaques:

Alemanha

O que quer: a Alemanha quer garantir a presidência da Comissão Europeia - quer colocar Manfred Weber do Partido Popular Europeu - ou do BCE.Linhas vermelhas: difícil dizer - a chanceler Angela Merkel mantém suas linhas vermelhas em segredo.Posto atual na comissão: orçamento e RHMembro da zona do euro: simCandidato à presidência do BCE: presidente do Bundesbank, Jens Weidmann

França

O que quer: a França tem sido muito mais clara sobre o que não quer. Mas o presidente Emmanuel Macron indicou o negociador do Brexit Michel Barnier, o candidato de centro-esquerda Frans Timmermans (holandês que atualmente é o primeiro vice-presidente da comissão) e Margret Vestager, chefe da agência antitruste da UE, como possíveis candidatos à comissão e disse que busca um equilíbrio geográfico e de gênero.Linhas vermelhas: os franceses descartaram Weber, dizendo que ele não tem experiência. E recusam qualquer "automaticidade" do sistema Spitzenkandidat.Posto atual na comissão: assuntos econômicos, tributação e alfândegaMembro da zona do euro: simCandidatos à presidência do BCE: François Villeroy De Galhau, presidente do Banque de France; Benoit Coeure, membro do conselho executivo do BCE.

Itália

O que quer: assessores do governo mostraram preferência pela pasta de economia (qualquer cargo em comércio, indústria, mercado interno, assuntos econômicos ou concorrência).Posto atual na comissão: relações exteriores (vice-presidente)Membro da zona do euro: simNota: a Itália perderá definitivamente seu lugar no conselho executivo do BCE se a presidência não for para a Alemanha ou para a França.

Espanha

O que quer: representantes do governo socialista espanhol dizem que sua escolha inequívoca para o líder da comissão é Timmermans. O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, em meio a negociações para formar um governo e como parte de seu plano para seu provável segundo mandato, quer garantir que Madri tenha maior poder em Bruxelas. A equipe de Sánchez está ansiosa para que um espanhol consiga uma vaga como um dos vice-presidentes da Comissão, de preferência o chefe de política externa.Posto atual na comissão: ação climática e energiaMembro da zona do euro: simNota: o vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, é da Espanha.

Holanda

O que quer: o governo holandês ainda não tem uma posição sobre quem deve suceder o presidente da Comissão da UE, Jean-Claude Juncker, de acordo com o primeiro-ministro Mark Rutte. Ele é um dos líderes do Grupo dos Seis encarregados de orientar o processo para preencher os principais cargos da UE.Posto atual na comissão: melhor regulamentação, relações interinstitucionais, estado de direito (primeiro vice-presidente)Membro da zona do euro: simCandidatos à presidência do BCE: o presidente do banco central holandês, Klaas Knot, pode ter chances como outsider.

Grécia

O que quer: o governo de esquerda de Alexis Tsipras apoia formalmente Timmermans para presidente da comissão, mas outros candidatos como Barnier ou Vestager também são vistos como escolhas palatáveis. Sob nenhuma circunstância o atual governo grego apoiará Weber como presidente da comissão. No entanto, se as negociações se arrastarem até 7 de julho, quando a Grécia deve realizar eleições antecipadas, o próximo governo (provavelmente de centro-direita) será um forte apoio de Weber para a comissão.Posto atual na comissão: migração, assuntos internosMembro da zona do euro: sim

Portugal

O que quer: o primeiro-ministro Antonio Costa, membro do Grupo dos Seis, disse que a prioridade é garantir a eleição do candidato socialista Timmermans como presidente da comissão, mas também elogiou Vestager publicamente.Posto atual na comissão: pesquisa, ciência e inovaçãoMembro da zona do euro: simNota: Portugal realiza eleições em 6 de outubro; o ministro das Finanças, Mario Centeno, é presidente do Eurogrupo

Reino Unido

O que quer: apenas sairLinhas vermelhas: Dado que a Grã-Bretanha quer que a UE ofereça o melhor acordo possível para o Brexit, tentará ser amigável com qualquer um que tenha chance de conseguir um posto de influência.Posto atual na comissão: segurançaMembro da zona do euro: não

--Com a colaboração de Nikos Chrysoloras, Stephanie Bodoni, Jan Bratanic, Aaron Eglitis, Peter Flanagan, Georgios Georgiou, Boris Groendahl, John Hermse, Birgit Jennen, Jasmina Kuzmanovic, Peter Laca, Leo Laikola, Joao Lima, Rafaela Lindeberg, Wojciech Moskwa, Jeannette Neumann, Sotiris Nikas, Slav Okov, Lyubov Pronina, Nick Rigillo, Milda Seputyte, Alessandro Speciale, Ben Sills, Zoltan Simon, Marine Strauss, Chad Thomas, Radoslav Tomek, Ott Ummelas, Irina Vilcu, Gregory Viscusi e Ian Wishart.

To contact Bloomberg News staff for this story: Daniela Milanese em São Paulo, dmilanese@bloomberg.net

Economia