IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Bilionários


Herdeiros da BMW dizem que vida de bilionários não é tão fácil

Chris Reiter

21/06/2019 13h07

(Bloomberg) -- Lidar com a responsabilidade e a inveja de herdar riqueza é um fardo que muitos não compreendem, segundo Susanne Klatten e Stefan Quandt, os irmãos bilionários que juntos são donos de quase metade da BMW.

"Muitos acreditam que estamos permanentemente sentados em um iate no Mediterrâneo", disse Klatten em rara entrevista à "Manager Magazin", que também conversou com seu irmão mais novo, publicada na quinta-feira (21). "O papel de guardião do patrimônio também tem lados que não são tão bons."

Klatten, cujo pai Herbert Quandt ajudou a resgatar a BMW no fim dos anos 1950, é a segunda pessoa mais rica da Alemanha, com uma fortuna avaliada em US$ 18,6 bilhões (cerca de R$ 71,1 bilhões), de acordo com o Índice de Bilionários Bloomberg. Klatten também tem participações na empresa química Altana e na produtora de carbono SGL Carbono.

Quandt, com participações na empresa de logística Logwin e na fabricante de remédios homeopáticos Heel, tem patrimônio líquido de US$ 15,5 bilhões (R$ 59,3 bilhões) Tanto ele quanto a irmã são membros do conselho fiscal da BMW.

"No nosso caso, certamente não é o dinheiro que nos impulsiona", disse Quandt. "Acima de tudo, é a responsabilidade de garantir empregos na Alemanha."

Os dois herdeiros dizem que estão confortáveis com seus papéis, mas inicialmente tiveram de fazer um esforço para assumir cargos de alto escalão ainda jovens. Quandt, que tinha 30 anos quando recebeu seu primeiro assento no conselho, disse que teria preferido trabalhar alguns anos como um "simples" gerente de produtos em algum lugar ou estudar arquitetura.

"Meu ponto de partida nunca foi: 'agora vou mostrar a todos como as coisas devem ser feitas'", disse Quandt, que questiona a lógica dos impostos sobre heranças. "Pelo contrário, foi um questionamento constante associado à insegurança."

Klatten, que ganhou notoriedade em 1978 quando a polícia desarmou um plano para sequestrá-la, juntamente com sua mãe Johanna, disse que a redistribuição de riqueza não funciona e que uma sociedade justa deve permitir que as pessoas busquem oportunidades de acordo com suas habilidades.

"Nosso potencial decorre do papel de ser herdeira e desenvolver isso", disse. "Trabalhamos duro nisso todos os dias."

Bilionários