IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Xavier, da SPX, defende corte de juro com Brasil 'colapsando'

Vinícius Andrade

26/06/2019 11h16

(Bloomberg) -- Um dos gestores de fundos mais reverenciados do Brasil defende que o Banco Central reduza a Selic para novas mínimas históricas, em meio à decepção com o crescimento econômico.

"Realmente, não sei o que eles estão esperando para cortar os juros", disse Rogério Xavier, sócio-fundador da SPX Capital. "A reforma será aprovada e não será ela que vai mudar a situação do país", escreveu Xavier, em sua conta no Twitter nesta terça-feira.

A reforma "melhorará a percepção de solvência", mas é "quase uma obrigação" para o país "não quebrar", segundo Xavier.

Na terça-feira, o Banco Central sinalizou, por meio da ata da reunião do Copom de junho, que as reformas fiscais são o principal obstáculo no caminho para um juro ainda menor, dado que o fracasso na aprovação dessas medidas pode levar a uma alta da inflação e do risco. A autoridade monetária também viu uma interrupção na recuperação gradual da economia, esperando um PIB perto da estabilidade no segundo trimestre.

"A descrição da ata é de um país colapsando", disse Xavier. "Não tem nada positivo".

Enquanto alguns investidores afirmam que um juro abaixo dos atuais 6,5% pode não ser o fator-chave para resolver o problema de crescimento, Xavier diz que não é possível falar que um afrouxamento adicional não ajudará, citando que uma taxa Selic a 5% "não é pouca coisa."

"Precisamos de algo para dar algum ânimo à economia e rápido", disse Xavier.

Mais Economia