IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Boeing perde primeiro cliente do 737 Max para Airbus

Layan Odeh e Matthew Martin

08/07/2019 14h40

(Bloomberg) -- A Flyadeal, companhia aérea de baixo custo da Arábia Saudita, voltou atrás sobre uma encomenda para comprar até 50 jatos 737 Max da Boeing, tornando-se a primeira empresa do setor a oficialmente desistir do avião desde que os voos com o modelo foram suspensos depois de dois desastres aéreos.

Com isso, a Flyadeal vai operar uma frota apenas com aviões da Airbus, segundo comunicado da empresa divulgado no domingo. A companhia aérea vai comprar até 50 aviões da família A320neo, fabricados pela rival europeia da Boeing.

A encomenda da Airbus foi realizada no mês passado durante a Paris Air Show pela controladora da operadora de baixo custo, a Saudi Arabian Airlines. Na época, o anúncio provocou rumores sobre se os aviões seriam usados pela Flyadeal, que em dezembro anunciou que gastaria até US$ 5,9 bilhões nos jatos Max da Boeing.

"Entendemos que a Flyadeal não finalizará seu compromisso com o 737 Max neste momento, dados os requisitos de cronograma da companhia aérea", disse a Boeing no domingo por e-mail, acrescentando que esperava "apoiar suas necessidades operacionais e de frota no futuro."

A partir de 2021, a Flyadeal começa a receber 30 aeronaves A320neo da Airbus, com opção para outros 20 aviões da mesma família de jatos de corredor único.

A decisão marca um revés comercial para a Boeing, que está sob pressão para provar que o jato Max é seguro e, assim, conseguir que volte a voar após dois desastres em cinco meses que mataram um total de 346 pessoas. Os voos com o 737 Max estão suspensos desde março.

--Com a colaboração de Benjamin D. Katz.

Repórteres da matéria original: Layan Odeh em Dubai, lodeh3@bloomberg.net;Matthew Martin em Dubai, mmartin128@bloomberg.net

Mais Economia