Topo

Voo neutro em carbono cortaria pela metade lucro de aéreas na UE

Richard Weiss

10/07/2019 11h24

(Bloomberg) -- Com as companhias aéreas sendo culpadas pela queima de querosene e ativistas estimulando as pessoas a encontrar outras maneiras de cruzar o globo, analistas da Sanford C. Bernstein calcularam o custo para as seis maiores transportadoras da Europa tornarem os voos neutros em emissão de carbono: US$ 3,6 bilhões.

As companhias aéreas - Air France-KLM, Deutsche Lufthansa, International Consolidated Airlines Group, Norwegian Air Shuttle ASA, Ryanair Holdings e Easyjet - são responsáveis pelas emissões de carbono de cerca de 37,8 milhões de toneladas métricas de combustível por ano, segundo analistas Daniel Roeska e Alex Irving.

A um preço atual de compensações de carbono de 26,51 euros (US$ 29,76) por tonelada no Sistema de Comércio de Emissões da União Europeia, a despesa total para essas seis companhias aéreas seria igual a cerca de 48% de seu lucro líquido de 2018. Isso é o que seria necessário para garantir aos clientes que eles podem voar sem culpa de aquecer o planeta, estimaram os analistas em nota publicada na quarta-feira.

A pesquisa é divulgada um dia depois que o governo francês anunciou que planeja um novo imposto de até 18 euros por bilhete em vôos que partem da França, com o objetivo de financiar transportes para combater a mudança climática.

Roeska e Irving disseram que esperam mais pressão sobre as viagens aéreas com impostos ou outras medidas. Embora as companhias aéreas eventualmente tenham de compensar todas as suas emissões, a proposta francesa é "apenas um imposto adicional sobre passageiros aéreos para financiar um programa do estado para construir outra infraestrutura, sem incentivo para as companhias aéreas avançarem na descarbonização e não estarem vinculadas a níveis de emissões", disseram.

Economia