PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Mercado se divide sobre custo de ações contra Roundup da Bayer

Tim Loh

11/07/2019 08h41

(Bloomberg) -- Há uma pergunta de US$ 2,5 bilhões pairando sobre a Bayer. Ou talvez uma pergunta de US$ 20 bilhões, dependendo de quem responde à pergunta.

Enquanto crescentes processos alegam que o herbicida Roundup da empresa alemã causa câncer, analistas se esforçam para calcular os custos de possíveis indenizações. O exercício requer um pouco de matemática e muita leitura de folhas de chá, razão pela qual as estimativas variam muito.

Para chegar à sua estimativa, Tom Claps, da Susquehanna Financial, se baseou, em parte, em seus 15 anos de experiência em seu antigo emprego como advogado de defesa em casos de responsabilidade civil nos Estados Unidos. Alistair Campbell, da Liberum Capital, como a maioria dos analistas, examinou várias sentenças importantes do setor farmacêutico que podem servir como precedentes - e então elevou esse número com muita cautela. Muitos oferecem uma variedade de cenários prováveis, em vez de um único valor.

"Verdade seja dita, ninguém sabe qual será o acordo", disse Dennis Berzhanin, analista da Pareto Securities, em Frankfurt.

A resposta é muito importante. O cargo do presidente da Bayer, Werner Baumann, será colocado à prova depois de o executivo ter liderado a aquisição da Monsanto, o que que deu à empresa alemã os direitos sobre o polêmico herbicida. O duplo foco da empresa em saúde e agricultura também pode estar em risco. O fundo ativista Elliott Management Corp. - que no passado pressionou para que a empresa desmembrasse unidades - comprou uma participação de US$ 1,3 bilhão na Bayer.

Para aumentar a confusão sobre o valor das indenizações, os investidores fizeram sua própria avaliação sobre o custo da crise envolvendo o Roundup punindo as ações da Bayer: a empresa perdeu cerca de US$ 38 bilhões em valor de mercado desde a compra da Monsanto.

Claps, analista para temas jurídicos e regulatórios da Susquehanna, em Nova York, diz que as elevadas estimativas de indenizações são em parte responsáveis pela queda das ações. Para ele, os custos do acordo devem ficar em uma faixa entre US$ 2,5 bilhões e US$ 4,5 bilhões.

Campbell, da londrina Liberum, tem uma visão diferente. Seu trabalho é apresentar aos investidores um caso com vantagens suficientes para ganhar dinheiro, mas também com um perfil de risco aceitável, disse.

Depois de vasculhar precedentes históricos - incluindo o acordo da Johnson & Johnson de 2013 sobre sua linha ASR de implantes artificiais de quadril, bem como o caso da unidade Wyeth, da Pfizer, que fez provisões de US$ 21 bilhões para ações judiciais sobre o remédio para emagrecer fen-phen -, Campbell acha que um acordo sobre o Roundup provavelmente custará à Bayer entre US$ 180 mil e US$ 422 mil por autor da queixa. Assim, o analista praticamente dobrou a quantia e chegou ao valor de US$ 10 bilhões.

Desde a compra da Monsanto, três casos sobre o Roundup foram a julgamento nos EUA, e a Bayer perdeu todos. Em maio, um júri concedeu a um casal de idosos que usou o herbicida mais de US$ 2 bilhões em indenizações. Embora esses valores possam ser reduzidos com recursos, o número de pessoas abrindo processos poderia aumentar além dos atuais 13.400. O próximo julgamento começa em agosto em St. Louis.