PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

VW e Ford se unem para desenvolver carros elétricos e autônomos

Christoph Rauwald e Keith Naughton

12/07/2019 14h45

(Bloomberg) -- Volkswagen e Ford Motor vão cooperar em tecnologias de carros elétricos e autônomos, compartilhando custos em escala global para avançar na transformação disruptiva do setor automotivo.

A VW vai investir US$ 2,6 bilhões na parceira de carros autônomos da Ford, a Argo AI, o que coloca o valor da operação em mais de US$ 7 bilhões, segundo comunicado conjunto das duas montadoras, distribuído nesta sexta-feira em Nova York, que confirmou o número já noticiado pela Bloomberg. A quantia inclui US$ 1 bilhão em capital e a contribuição, pela Volks, da divisão de Direção Inteligente Autônoma Audi, avaliada em US$ 1,6 bilhões.

"Ford e Volkswagen permanecem independentes e altamente competitivas no mercado, mas a união e o trabalho com a Argo AI nessa tecnologia importante nos permitem entregar capacidade, escala e alcance geográfico incomparáveis", disse o presidente da Ford, Jim Hackett.

Mudanças sem precedentes no setor automotivo forçam as empresas a considerar novas parcerias e potencial consolidação. A VW, maior montadora do mundo, chega com os modelos elétricos mais ambiciosos, enquanto aFord, que está entre as 10 maiores do setor, está desenvolvendo tecnologia avançada de direção autônoma com a Argo.

Para a VW, o investimento na Argo é uma oportunidade de reduzir suas desvantagens em relação à Waymo, da Alphabet, e à divisão Cruise, da General Motors. Testes em estradas e o acúmulo de gigantescas quantidades de dados são essenciais para o desenvolvimento dos carros autônomos. Poucas empresas além da Waymo têm condições de fazer isso sozinhas.

"Demorou um pouco para sair esse negócio, mas é porque conseguimos resolver muitos dos problemas difíceis", disse Bryan Salesky, cofundador e presidente da Argo AI. "Temos uma visão clara de produção e oferta de veículos e temos uma visão clara de onde queremos chegar e como."

Além de dividir custos para o desenvolvimento de automóveis autônomos, a Ford usará a estrutura básica dos carros elétricos da VW, que está por trás do maior lançamento já feito de carros elétricos. A VW já gastou aproximadamente 30 bilhões de euros (US$ 34 bilhões) na iniciativa. Aumentar a produção das linhas ajudaria no ganho de escala e na economia de custos, além de dar à Ford um meio para cumprir as regras mais rígidas de emissão de dióxido de carbono na Europa.

A Ford vai montar na Europa pelo menos um modelo de massa de carro movido a bateria a partir de 2023. A empresa vai entregar mais de 600.000 veículos na Europa com base na plataforma da VW (chamada MEB) durante seis anos. Também está em discussão um segundo modelo elétrico para o mercado europeu.

A parceria com a montadora americana é uma das principais táticas do presidente da VW, Herbert Diess, para transformar a gigante industrial alemã. As duas companhias reiteraram nesta sexta-feira que o acordo não inclui participações no capital.

Para a Ford, a transação com a VW se encaixa na reestruturação planejada por Hackett, que envolve US$ 11 bilhões, a saída do segmento de sedãs nos EUA e maior foco em veículos comerciais na Europa, além do investimento na startup de caminhões elétricos Rivian Automotive. Em termos geográficos, as duas se complementam: a Ford é forte nos EUA e a VW é líder na Europa e na China.

"Nossa aliança global começa a demonstrar ainda mais promessas e continuamos avaliando outras áreas nas quais podemos colaborar", declarou Diess, da VW.

Repórteres da matéria original: Christoph Rauwald em Frankfurt, crauwald@bloomberg.net;Keith Naughton em Southfield, knaughton3@bloomberg.net