IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Reino Unido já pode estar em recessão técnica com Brexit

David Goodman e Olivia Konotey-Ahulu

22/07/2019 07h52

(Bloomberg) -- O plano do Reino Unido para sair da União Europeia (Brexit) já pode ter empurrado o país para uma recessão técnica, segundo o Instituto Nacional de Pesquisa Econômica e Social (Niesr, na sigla em inglês).

Considerando uma série de previsões desanimadoras, o Niesr previu que, mesmo supondo uma saída suave em outubro, o país deve crescer 1% em 2019 e 1% em 2020. Há uma chance em quatro de que a economia já esteja encolhendo, segundo o instituto.

A perspectiva piora se não houver acordo para o Brexit. No caso de uma saída "desordenada", o Niesr considera a possibilidade de uma desaceleração "severa". Mesmo que uma saída sem acordo, mas "ordenada", seja conseguida, o Niesr prevê estagnação da economia no próximo ano, com uma aceleração da inflação para 4,1% e desvalorização de cerca de 10% da libra.

"Independentemente da maneira como olhamos, não haverá entusiasmo econômico em um Brexit sem acordo", disse o diretor do Niesr, Jagjit Chadha.

A política monetária e fiscal pode mitigar os danos de curto prazo de um Brexit sem acordo, mas o impacto de longo prazo resultará em um PIB 5% mais baixo "de forma permanente" em relação a um Brexit suave ou à permanência no Reino Unido, segundo estimativas do instituto.

O Niesr vê uma chance de 30% de a economia encolher em 2020. Em uma saída sem acordo ordenada, o Banco da Inglaterra cortaria a taxa básica para 0,25% até o fim de 2019, mas depois os juros aumentariam rapidamente para 1,75% até o fim de 2020. O déficit orçamentário subiria para 2,7% do PIB em uma saída sem acordo ordenada.

Mais Economia