PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Mercado avisa Boris Johnson: ignorar queda da libra é um risco

Anooja Debnath e Charlotte Ryan

31/07/2019 08h25

(Bloomberg) -- A persistente queda da libra esterlina não foi suficiente para convencer o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, a suavizar sua postura sobre o Brexit. Pode ser apenas uma questão de tempo.

Um mergulho de cerca de 10% da libra esterlina no curto prazo pode fazer com que o gabinete de Johnson se abstenha de apoiar um Brexit sem acordo, na avaliação do Commerzbank. Uma desvalorização que empurre a moeda para menos de US$ 1,19 deixaria os mercados em "águas desconhecidas", segundo a Manulife Asset Management, que administra quase US$ 400 bilhões.

Vista agora como o termômetro em tempo real do mercado sobre os rumos do Brexit, a libra está perto da maior desvalorização mensal desde outubro de 2016. Johnson, que assumiu o cargo no início deste mês, sugeriu que pode deixar de negociar com a União Europeia antes do prazo final para o Brexit, em 31 de outubro.

"Vimos de tempos em tempos que o mercado é capaz de pressionar os governos", disse Thu Lan Nguyen, estrategista de câmbio do Commerbank. "A crescente turbulência do mercado pode pressionar o governo a evitar um Brexit sem acordo. Como um limite para a dor, eu poderia imaginar uma depreciação um pouco acima de 10% em um curto espaço de tempo que levaria a moeda para perto da paridade contra o euro."

Nos bastidores, alguns conservadores manifestaram ansiedade sobre a queda da libra esterlina. Um importante assessor de Johnson, que pediu para não ser identificado, disse que os mercados agora estão acordando para a perspectiva realista de um Brexit sem acordo, e que o governo não estava disposto a suavizar o tom.

--Com a colaboração de John Ainger.

Repórteres da matéria original: Anooja Debnath em Londres, adebnath@bloomberg.net;Charlotte Ryan em Londres, cryan147@bloomberg.net