IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

IBM demitiu cerca de 100 mil nos últimos anos, segundo processo

Olivia Carville

01/08/2019 11h24

(Bloomberg) -- A International Business Machines demitiu cerca de 100 mil funcionários nos últimos anos, em uma tentativa de atrair millennials e se tornar tão "moderna" quanto a Amazon e o Google, de acordo com um depoimento de um ex-vice-presidente em um processo de discriminação por idade.

A empresa de tecnologia enfrenta vários processos que a acusam de demitir trabalhadores mais velhos, que incluem um caso de ação coletiva em Manhattan e processos individuais abertos na Califórnia, na Pensilvânia e no Texas no ano passado.

"Reinventamos a IBM nos últimos cinco anos para forcarmos em oportunidades de maior valor para nossos clientes", afirmou a IBM em comunicado. "A empresa contrata 50 mil funcionários por ano."

A chamada Big Blue enfrenta quase sete anos consecutivos de queda da receita. Nos últimos dez anos, a empresa demitiu milhares de pessoas nos Estados Unidos, Canadá e outras jurisdições de altos salários, com o objetivo de cortar custos e reorganizar sua força de trabalho depois de ter ficado para trás nas revoluções de computação em nuvem e tecnologia móvel. O número de funcionários da IBM caiu para o nível mais baixo em seis anos, com 350.600 funcionários em todo o mundo no final de 2018, uma redução de 19% em relação a 2013.

Em um depoimento em um dos casos civis, Alan Wild, ex-vice-presidente de recursos humanos, disse que a IBM havia demitido "entre 50 mil a 100 mil funcionários nos últimos anos", segundo um documento do processo apresentado na terça-feira no Texas.

Em seu depoimento, Wild disse que a IBM enfrentava problemas para contratar talentos e determinou que uma forma de mostrar aos millennials que a IBM não era organização antiquada era tentar transmitir uma imagem de uma empresa "moderna", como a Alphabet, que controla o Google, e a Amazon.com, de acordo com o documento. Para isso, a IBM decidiu reduzir grande parte de sua força de trabalho com demissões contínuas ao longo de vários anos, de acordo com documentos judiciais.

Essa estratégia visava deliberadamente trabalhadores com mais idade, como Jonathan Langley, de 61 anos, do Texas, que acusou a IBM de demiti-lo depois de mais de 24 anos na empresa por causa da idade, segundo o documento. A IBM apresentou uma moção para arquivar o caso de Langley. Na terça-feira, seus advogados apelaram contra a moção.

Wild, que trabalhou na IBM por quase oito anos, deixou o cargo em outubro passado, de acordo com sua página no LinkedIn. Wild disse que não podia comentar o assunto.

A IBM começou a trabalhar para "ajustar" sua força de trabalho com mais idade em 2014, de acordo com a ação coletiva apresentada em Nova York. A empresa começou a demitir funcionários mais velhos e a substituí-los por millennials, que, segundo o departamento de consultoria da IBM "em geral são muito mais inovadores e receptivos à tecnologia do que os baby boomers".

No mês passado, a IBM, com sede em Armonk, Nova York, demitiu cerca de 2.000 funcionários. "Continuamos a reposicionar nossa equipe para alinhar nosso foco nos segmentos de alto valor do mercado de TI - ao mesmo tempo em que contratamos de forma intensa em novas áreas críticas que oferecem valor para nossos clientes e para a IBM", disse a empresa em um comunicado na época.

Mais Economia