IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Ex-traders da tesouraria do Santander vão lançar nova gestora

Felipe Marques

02/08/2019 11h48

(Bloomberg) -- Ex-traders da equipe da tesouraria proprietária do Santander Brasil que trabalharam sob o comando de Roberto Campos Neto e deixaram o banco em março se reuniram para lançar uma nova gestora de fundos multimercado.

A Ace Capital, como a empresa será chamada, terá cerca de 10 ex-funcionários do Santander em sua equipe, segundo pessoas familiarizadas com os planos. Gabriel Trebilcock, Maiko Carvalho, Rodrigo Gaze, Luiz Missagia, Thiago Kadobayashi e Pedro Nunes estarão entre os sócios-fundadores da nova gestora e negociam para que o ex-chefe dos traders da mesa proprietária do Santander, Fabricio Taschetto, se junte a eles, disseram as pessoas, pedindo para não ser identificadas porque a informação não é pública.

Ricardo Denadai, que era economista na mesa proprietária do Santander, também está sendo cortejado pelo grupo, de acordo com as pessoas.

Os executivos não comentaram.

A Ace Capital reunirá parte da equipe de traders montada por Roberto Campos Neto na tesouraria do Santander. Depois de trabalhar no Santander durante a maior parte dos últimos 18 anos, Campos Neto deixou o banco no fim de 2018 para assumir a presidência do Banco Central. Em seguida, no começo de 2019, o banco decidiu reestruturar a mesa proprietária, levando à saída do grupo de traders que montou a Ace.

O Ace não é a primeira gestora de fundo multimercados formada por ex-executivos do Santander. Legacy Capital foi fundada por Felipe Guerra, que passou oito anos como diretor de tesouraria do Santander no Brasil. Trabalhou com Gustavo Pessoa e Pedro Jobim, dois outros veteranos do Banco Santander que também estão entre os fundadores da Legacy.

A indústria de multimercados do Brasil está em alta, com muitos executivos deixando grandes bancos para montar suas próprias gestoras e atender os investidores de varejo que buscam melhores retornos. Os multimercados estão no caminho certo pelo quarto ano consecutivo de entradas -- com alguns dos mais novos, como o Legacy, atingindo US$ 1 bilhão em ativos em menos de 12 meses.

Mais Economia