IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Financiamento de US$ 6 bi da WeWork depende de sucesso de IPO

Gillian Tan

02/08/2019 12h51

(Bloomberg) -- A WeWork busca um financiamento de US$ 6 bilhões para colocar em prática suas ambições globais, mas há um porém: primeiro sua oferta pública inicial no mês que vem precisa dar certo.

A empresa se reuniu com analistas esta semana para detalhar seus negócios e planos de expansão, como parte da estratégia para estrear no mercado de ações. Nos bastidores, a empresa busca financiamento de duas maneiras: uma linha de crédito de US$ 2 bilhões e um empréstimo a prazo de US$ 4 bilhões, disseram pessoas com conhecimento do assunto, que não quiseram ser identificadas.

Mas os bancos terão que cumprir sua promessa somente se pelo menos US$ 3 bilhões forem levantados na oferta, aumentando as apostas no IPO. A maior linha de crédito poderia ser acessada a partir de setembro, e novamente em agosto de 2020 e março de 2021, se a WeWork atender a determinadas metas de desempenho, disse uma das pessoas.

A WeWork, com sede em Nova York, que aluga espaços de escritório para empresas e profissionais autônomos, tem procurado maneiras de financiar sua expansão global, potencialmente investindo em uma ampla variedade de negócios e propriedades, como apartamentos e escolas. A pressão sobre a companhia aumentou depois que o SoftBank Group, do Japão, desistiu de um plano no fim do ano passado para injetar US$ 16 bilhões com uma participação na startup.

A nova rodada de financiamento pode dar à WeWork um maior critério ao definir o tamanho de seu IPO que, segundo informado pela Bloomberg na semana passada, pode levantar US$ 3,5 bilhões em setembro.

Representantes do JPMorgan Chase disseram a rivais que financiariam até US$ 800 milhões para os dois empréstimos, disseram as pessoas. Alguns credores potenciais foram convidados a se comprometer com US$ 750 milhões até esta semana, enquanto outros têm até meados de agosto para confirmar compromissos entre US$ 250 milhões e US$ 500 milhões. Se a empresa receber promessas de empréstimos de mais de US$ 6 bilhões, como espera, provavelmente reduzirá o volume de financiamento, de acordo com uma das pessoas.

Representantes da WeWork e do JPMorgan não quiseram comentar.

--Com a colaboração de Michelle F. Davis, Ellen Huet e Eric Newcomer.

Mais Economia