IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Para funcionários da Pemex, vale a pena ser magro

Amy Stillman

05/08/2019 06h53

(Bloomberg) -- Na petroleira estatal do México, quanto mais fina a cintura, maiores os bônus.

Segundo o novo acordo coletivo fechado entre a Pemex e o sindicato, funcionários que cumprirem determinados padrões de peso corporal receberão um "incentivo de saúde" de 5.545,40 pesos (US$ 287) por ano. Para se qualificar, o empregado deve ter um índice de massa corporal, ou IMC, não superior a 25 - ou uma circunferência máxima da cintura de 90 centímetros para homens e de 80 centímetros para mulheres. O chamado bônus de saúde representa um aumento de 4,6% em relação ao último acordo.

A política contraria as recomendações de especialistas em saúde, os quais alertam que o IMC e outros marcadores biométricos são influenciados por fatores genéticos e ambientais e não são fáceis de controlar. "Empregadores que exigem tratamento diferenciado de indivíduos com base no IMC ajudam a institucionalizar a já generalizada estigmatização de pessoas obesas", segundo um relatório da The Obesity Society, do estado de Maryland, nos EUA.

A Pemex e o sindicato não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

"Essa é uma política desinformada", disse Scott Kahan, diretor do Centro Nacional de Controle de Peso e Bem-Estar, em Washington. "É inconsistente com a ciência do que sabemos sobre a regulação do peso corporal e ignora o progresso nas percepções da sociedade em torno da obesidade. Além de tudo isso, temos dados científicos muito sólidos agora de que ridicularizar a obesidade causa mais ganho de peso."

Trabalhadores da Pemex que estão acima do peso ou obesos e que diminuem seu peso em 10% anualmente também receberão o bônus, e existem métricas para os níveis de glicose no sangue, pressão arterial e colesterol, de acordo com o contrato visto pela Bloomberg. Os detalhes do contrato, que incluem um bônus por "produtividade" equivalente a 30,85% do salário, foram divulgados anteriormente em jornais locais, como o diário Reforma.

Um método mais produtivo de promover o bem-estar entre funcionários é incentivar comportamentos saudáveis, disse Kahan. Estes podem incluir a concessão de descontos de seguro para dias em que os funcionários vão à academia, ou incentivar a participação em palestras sobre alimentação saudável e bem-estar. Além disso, as empresas podem reduzir os doces e fornecer lanches mais saudáveis no escritório, ou dar aos funcionários mais tempo durante o horário de almoço para comprar alimentos saudáveis ou fazer exercícios.

"Há muitas empresas grandes e pequenas que estão avançando nisso de maneiras muito melhores e muito mais produtivas", disse Kahan.

Para contatar o editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia