IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Walmart enfrenta Amazon com serviço de vídeo grátis na Índia

Saritha Rai

05/08/2019 16h05

(Bloomberg) -- O Flipkart, programa de fidelidade do Walmart, planeja lançar um serviço de streaming de vídeo gratuito na Índia nos próximos meses, acirrando a disputa com a Amazon.com com as armas usadas por sua arquirrival.

A maior varejista on-line da Índia planeja lançar o streaming de vídeo para os membros do Flipkart Plus até setembro, antes do pico da temporada de compras da festa religiosa Diwali, disseram pessoas com conhecimento do assunto. O serviço está atualmente em modo beta, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas.

O Flipkart estreia em um mercado disputado usando as mesmas estratégias da Amazon. Por muitos anos, o serviço Prime Video da varejista dos EUA foi fundamental para manter e atrair novos consumidores. Uma oferta de streaming poderia ajudar a nivelar o jogo com a Amazon, que produz séries premiadas como "The Marvelous Mrs. Maisel" para o público global.

A Flipkart não produzirá conteúdo original por enquanto - uma rota comprovadamente cara para plataformas on-line, como a Netflix. A estratégia escolhida foi licenciar conteúdo de empresas como Walt Disney e estúdios locais como Balaji Telefilms, segundo as pessoas. O conteúdo original poderia ser produzido futuramente, acrescentaram. A notícia foi divulgada anteriormente na segunda-feira pela Money Control.

O Flipkart Plus lançou seu programa de recompensas em 2018, quando o Amazon Prime já estava estabelecido na Índia, exibindo programas originais e uma biblioteca de filmes de Bollywood e regionais.

Em 2018, o Walmart pagou US$ 16 bilhões pelo controle do Flipkart, pioneiro do comércio eletrônico na Índia, conquistando a primeira posição em uma das arenas que mais crescem no mundo. Ao contrário de mercados gigantescos, como a China, que são em grande parte fechados para empresas estrangeiras, a Índia é a linha de frente de uma batalha entre os maiores varejistas on-line do mundo.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Mais Economia