IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Níquel prova que é metal mais volátil com recente rali

Bloomberg News

08/08/2019 15h22

(Bloomberg) -- O níquel há muito tempo tem a reputação de estar entre os metais industriais mais voláteis, mas seu maior salto diário em uma década deixou até os traders mais experientes surpresos.

O metal subiu cerca de 13%, ou quase US$ 2.000 por tonelada, estendendo um rali no último mês, puxado pela especulação de que a maior produtora da Indonésia poderia antecipar a proibição das exportações de minério de níquel. Embora os preços tenham desacelerado depois que o Ministério de Mineração do país negou quaisquer mudanças de política iminentes, os preços ainda acumulam alta de quase 9% em Londres.

"Você pode ver que o mercado está sem negociações agora porque as pessoas simplesmente não sabem o que fazer", disse George Daniel, um gestor de hedge funds da Red Kite, que tem negociado metais desde 1993.

Nos últimos anos, o níquel se tornou um dos contratos mais negociados na Bolsa de Metais de Londres, já que investidores de curto prazo são atraídos por movimentos de preços acentuados. Os fundos que acompanham tendências colocaram mais lenha no recente rali, assim como traders de opções que foram forçados a cobrir sua exposição quando os preços começaram a subir na quarta-feira, disse Daniel.

O níquel atingiu US$ 16.690, o maior nível desde abril de 2018. Os contratos da Bolsa de Futuros de Xangai subiram no limite diário, atingindo o maior nível desde o início das negociações em 2015.

Não houve mudanças notáveis nos fundamentos para justificar o otimismo, escreveu a Shanghai Metals Market em nota.

"Os preços do níquel não são definidos pelos fundamentos no momento", disse Celia Wang, analista da trading Grand Flow Resources, em entrevista por telefone de Xangai. "A alta dos preços mostrou que os investidores tendem a acreditar na especulação da proibição de exportação de minério da Indonésia, caso contrário, como podemos explicar a alta?".

--Com a colaboração de Eko Listiyorini.

To contact Bloomberg News staff for this story: Martin Ritchie em Xangai, mritchie14@bloomberg.net;Winnie Zhu em Xangai, wzhu4@bloomberg.net;Mark Burton em Londres, mburton51@bloomberg.net

Mais Economia