IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Bayer busca pagar indenizações de US$ 8 bi por Roundup: Fontes

Jef Feeley, Joel Rosenblatt e Tim Loh

09/08/2019 07h38

(Bloomberg) -- A Bayer propõe pagar até US$ 8 bilhões para encerrar mais de 18 mil processos nos Estados Unidos que alegam que o herbicida Roundup da empresa causa câncer, segundo pessoas a par das negociações.

Um acordo, que ainda poderia levar meses para ser concluído, diminuiria a pressão de investidores, preocupados com a enorme exposição da gigante alemã de medicamentos e produtos químicos a litígios depois da compra da Monsanto, fabricante do herbicida, por US$ 63 bilhões.

A crise pesou sobre o preço da ação, o que levou a um voto de não confiança sem precedentes de acionistas na administração da empresa e alimentou especulações sobre a desistência do negócio.

As ações da Bayer caíram cerca de 30% nos 14 meses desde que o acordo com a Monsanto foi concluído.

Embora a Bayer avalie pagar entre US$ 6 bilhões e US$ 8 bilhões para resolver casos atuais e futuros, advogados dos demandantes querem mais de US$ 10 bilhões para arquivar os processos, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. Descobrir uma forma de indenizar consumidores que ainda não foram diagnosticados com doenças é um ponto crítico, e não há garantia de que os dois lados chegarão a um acordo em breve, acrescentaram.

Um valor de "US$ 8 bilhões seria menos do que a maioria dos analistas projeta e muitos investidores temen", escreveu Markus Mayer, analista da Baader Helvea, em e-mail.

O porta-voz da Bayer, Tino Andresen, não quis comentar sobre as negociações do acordo.

Advogados da Bayer e de ex-usuários do Roundup ainda estão negociando em Nova York com o objetivo de chegar a um acordo para resolver todos os casos atuais e futuras queixas acusando o herbicida mais vendido do mundo de causar câncer, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

Alguns analistas que acompanham os litígios estimam que a Bayer pode gastar entre US$ 2,5 bilhões e US$ 20 bilhões para arquivar os processos. Especialistas disseram que indenizações de dezenas de milhões de dólares por demandante foram um forte e mau sinal para as perspectivas da Bayer em processos futuros, diminuindo seu poder de negociação nos acordos.

--Com a colaboração de Tim Bross, Eyk Henning e Albertina Torsoli.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Jef Feeley em Wilmington, Delaware, jfeeley@bloomberg.net;Joel Rosenblatt em São Francisco, jrosenblatt@bloomberg.net;Tim Loh em Munich, tloh16@bloomberg.net

Economia