PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Preço do aluguel em Manhattan dá maior salto desde 2015

Oshrat Carmiel

15/08/2019 10h02

(Bloomberg) -- Os tempos mudaram no edifício do Upper East Side, um bairro do distrito de Manhattan em Nova York, onde a corretora Cyla Klein conseguia encontrar apartamentos para muitos inquilinos. No ano passado, o proprietário do edifício, ansioso para atrair moradores em um mercado desaquecido, abriu mão de um mês de aluguel e instalou ares-condicionados nas janelas sem cobrar nada.

"Agora é totalmente diferente", disse Klein, corretora da Citi Habitats. Quando fechou um contrato de aluguel de um apartamento no mês passado, o dono não ofereceu nenhum benefício e exigiu US$ 125 para instalar o ar-condicionado.

Com as vendas de imóveis desaquecidas, a demanda por aluguéis disparou em Manhattan, mudando a sorte de proprietários que passaram o verão passado preocupados em como achar inquilinos para unidades vazias em meio a tantas novas ofertas de apartamentos. Na maior parte deste ano, os proprietários têm oferecido menos vantagens e decidiram arriscar com aluguéis mais altos. No mês passado, o experimento foi recompensado: os proprietários obtiveram o maior reajuste anual em quase quatro anos.

O aluguel médio em Manhattan, descontados os benefícios, foi de US$ 3.521 em julho, um salto de 6,5% em relação ao ano anterior, segundo relatório divulgado na quinta-feira pela avaliadora imobiliária Miller Samuel e corretora Douglas Elliman Real Estate. Os aluguéis não subiam tanto desde agosto de 2015, quando o reajuste ficou em 6,6%.

"Os proprietários tiveram uma melhor taxa de sucesso em conseguir o que queriam do que há um ano", disse Gary Malin, presidente da Citi Habitats, que também divulgou um relatório sobre o mercado de locação.

A Citi Habitats informou que o aluguel médio em Manhattan chegou a US$ 4.160 no mês passado - o maior de todos os meses desde 2007, segundo os registros. O número não leva em consideração benefícios, tais como um mês sem cobrança de aluguel ou pagamento de taxas de imobiliárias. Tais vantagens foram oferecidas em 31% de todos os novos contratos de aluguel em julho em relação aos 35% um ano antes, segundo a Miller Samuel e Douglas Elliman.

O preço médio do aluguel pedido por proprietários no Upper East Side aumentou 9,2% em julho, para US$ 3.680, segundo a Citi Habitats.

"Os proprietários agora estão mais exigentes e dizem: 'Isso é o que eu quero'.", conta Klein.

--Com a colaboração de Sydney Price.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net