IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Venda de elefantes africanos para cativeiro pode ser proibida

Pauline Bax

19/08/2019 14h17

(Bloomberg) -- Zoológicos e circos dos EUA e China podem ser proibidos de comprar elefantes africanos capturados na natureza.

Uma votação na 18ª reunião da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas a favor da limitação do comércio internacional dos animais vai mudar a regulamentação atual, que permite que quatro nações do sul da África ? Zimbábue, Namíbia, Botsuana e África do Sul ? vendam elefantes a zoológicos e parques temáticos em outros continentes.

Juntos, os quatro países abrigam quase metade dos elefantes africanos vivos e têm menos restrições comerciais do que nações onde os animais estão sob grave ameaça. O Zimbábue enviou dezenas de filhotes para a China nos últimos anos e, em junho, informou que está disposto a vender espécies selvagens para quem quiser.

No domingo, 46 países integrantes da convenção apoiaram uma proposta para restringir a venda de elefantes selvagens aos chamados programas de conservação in situ, ou seja, os animais não podem deixar a África para serem colocados em cativeiro, de acordo com Iris Ho, especialista sênior em políticas públicas da Humane Society Internacional.

"É um enorme passo adiante", afirmou Ho por telefone de Genebra, local do encontro. "É realmente histórico que a maioria dos presentes tenha reconhecido que os elefantes africanos não devem ser capturados na natureza, enviados a zoológicos e mantidos em cativeiro pelo resto de suas vidas."

EUA e União Europeia rejeitaram a proposta, segundo ela. A decisão ainda precisa ser formalmente adotada em votação em plenário.

Botsuana e Zimbábue alegam ter elefantes demais e querem que a convenção flexibilize algumas regras, incluindo a moratória sobre vendas de marfim, a ser discutida ainda nesta semana.

Mais Economia