PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Autoridades dos EUA pedem a não fumantes que evitem vaping

Michelle Fay Cortez

02/09/2019 15h14

(Bloomberg) -- Autoridades de saúde pública dos Estados Unidos alertaram pessoas não fumantes a evitarem cigarros eletrônicos e outros dispositivos vaping após a descoberta de uma misteriosa e grave doença pulmonar nas últimas semanas, que afetou pelo menos 215 pessoas em 25 estados e está associada com pelo menos uma morte.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA e a FDA, agência que regula fármacos e alimentos no país, estão trabalhando com os departamentos estaduais de saúde para tentar descobrir o que causa a doença que, segundo as autoridades, estaria associada ao vaping. Em muitos casos, os pacientes relataram usar produtos que incluíam maconha ou THC, o princípio ativo da maconha, antes de adoecer. As agências também alertaram para a alteração de dispositivos comerciais ou o consumo de substâncias caseiras.

"Quem usa produtos de cigarro eletrônico não deve comprá-los na rua e não deve modificar produtos de cigarro eletrônico ou adicionar substâncias a esses produtos que não sejam do fabricante", disseram o diretor do CDC, Robert Redfield, e o comissário interino da FDA, Ned Sharpless, em comunicado. "Independentemente da investigação em andamento, os produtos de cigarro eletrônico não devem ser usados por jovens, jovens adultos, mulheres grávidas e adultos que atualmente não usam produtos de tabaco."

A recomendação vai de encontro à declaração de Kevin Burns, presidente da Juul Labs, que foi franco em seus conselhos a não fumantes em entrevista ao programa "CBS This Morning".

"Não fume", disse no início da semana passada, falando para pessoas que atualmente não usam tabaco. "Não use o Juul. Não comece a usar nicotina se você não tiver uma relação pré-existente com a nicotina. Não use o produto. Você não é nosso consumidor-alvo."

Muitas pessoas acreditam que o vaping é mais seguro que cigarros tradicionais e o tabaco, que matam 8 milhões de pessoas a cada ano devido ao câncer e outras doenças, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Os cigarros eletrônicos são vistos como uma alternativa que poderia ajudar fumantes a parar de fumar e salvar vidas, embora autoridades de saúde ainda estejam estudando seus efeitos colaterais e riscos à medida que se tornam cada vez mais populares.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia