IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Mulheres podem ajudar a suprir falta de pilotos de avião na Ásia

Claire Jiao

16/09/2019 06h58

(Bloomberg) — A maior escola de aviação das Filipinas tenta trazer mais mulheres para as cabines de avião com o objetivo de suprir a falta de pilotos na Ásia.

No campus da Alpha Aviation, localizado na província de Pampanga, ao norte da capital, as mulheres representam um em cada cinco dos 550 estudantes anuais, disse o fundador Bhanu Choudhrie em entrevista, acrescentando que apenas cerca de 3% dos pilotos do mundo são mulheres.

Choudhrie disse que o grupo realiza programas de recrutamento em universidades e convida mulheres que já são pilotos a dar palestras para estudantes com o objetivo de incentivar mais mulheres a se inscreverem. Essas iniciativas visam dissipar a noção nas Filipinas de que apenas homens podem se inscrever na escola de aviação, acrescentou.

A Boeing estima que a Ásia precisará formar 266 mil pilotos até 2038, um terço do déficit global, devido à maior demanda por viagens, que crescem na região no ritmo mais rápido do planeta. Companhias aéreas com falta de pilotos na região já foram obrigadas a reduzir voos devido ao problema. E algumas operadoras locais estão abrindo suas próprias escolas para formar mais pilotos.

Dado o amplo uso do inglês nas Filipinas, o país está bem posicionado para atender às aéreas regionais de baixo custo, que agora são obrigadas pelas autoridades reguladoras a treinar seus pilotos no idioma, disse Choudhrie. A escola já treina pilotos para companhias aéreas locais, bem como para a VietJet Air e AirAsia India.

A expansão das companhias aéreas de baixo custo, cujos voos são na maioria de curta distância na região, também torna a carreira de piloto mais atraente para mulheres que não querem ficar longe do lar por longos períodos de tempo, disse Choudhrie.

"Existe uma demanda enorme, e apenas os homens não conseguem supri-la. São as mulheres que impulsionam esse crescimento", afirmou.

Investimentos

Choudhrie, que comanda a empresa britânica de private equity C&C Alpha Group, pode investir até US$ 12 milhões anualmente nos próximos três anos para expandir o campus das Filipinas. A escola quer dobrar o número de alunos no mesmo período e abriu instalações nas províncias de La Union e Zambales para atender à demanda. A Alpha Aviation planeja abrir escolas em dois outros países asiáticos, aproveitando a demanda de companhias aéreas.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Mais Economia