IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Johnson & Johnson não planeja provisões diante de processos

Riley Griffin

15/10/2019 13h35

(Bloomberg) -- A Johnson & Johnson não planeja fazer provisões para os mais de 100 mil processos associados ao seu portfólio de medicamentos, produtos de consumo e aparelhos médicos. A empresa diz que vai enfrentar os processos e espera sair vitoriosa em muitos deles.

A J&J gastou US$ 832 milhões em despesas com litígios este ano, e estimativas externas de indenizações decorrentes de ações judiciais por opioides, drogas psiquiátricas, talco e aparelhos médicos variam em dezenas de bilhões de dólares. Embora vários veredictos de peso tenham sido destaque nas manchetes, o diretor financeiro da J&J, Joseph Wolk, disse que a empresa espera vencer muitas das milhares de ações na Justiça.

"No momento, se você pensar em alguns dos processos em andamento, provavelmente estão sujeitos ao nosso recurso", disse Wolk em entrevista à Bloomberg Television. "Não há nada para reservar. Nem cumpriria os padrões contábeis."

As provisões para despesas com litígios são de natureza contábil, e as empresas normalmente não as incluem até que possam ser razoavelmente estimadas.

Os processos ofuscaram os resultados de negócios robustos da empresa. Na divulgação do balanço do terceiro trimestre, a J&J elevou a previsão de lucro para 2019 depois de superar as estimativas de analistas. O resultado foi puxado pela unidade de medicamentos e vendas de aparelhos médicos. No entanto, as ações da J&J estão longe do pico de 52 semanas visto em dezembro.

Processos

As acusações contra a farmacêutica são substanciais. Na semana passada, um júri ordenou que a J&J pagasse US$ 8 bilhões por levar médicos a receitarem o remédio antipsicótico Risperdal para idosos e crianças - embora seja improvável que a sentença seja confirmada em recurso.

A empresa também é acusada de ajudar a alimentar a epidemia de opioides nos EUA e está entre as várias empresas que foram processadas por estados, cidades e condados. Em março, perdeu uma ação judicial movida por Oklahoma e foi condenada a pagar US$ 572 milhões pela comercialização indevida de seus analgésicos nos estados.

Nem mesmo sua unidade de consumo está imune. Mais de 15 mil ações alegam que o talco da empresa causou diferentes tipos de câncer devido à contaminação com amianto. Em meio ao escrutínio, a J&J relançou muitos produtos em sua unidade de produtos para bebês.

--Com a colaboração de Jef Feeley.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia