PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Greenspan não vê recessão nos EUA em cenário de desalavancagem

Jeff Kearns e Alexandre Tanzi

31/10/2019 14h11

(Bloomberg) -- Alan Greenspan diz que é muito cedo para começar a apostar em uma recessão nos Estados Unidos, de acordo com um de seus indicadores preferidos de investimentos de empresas americanas.

Embora sinais vindos do mercado e projeções de economistas mostrem probabilidades crescentes de interrupção da expansão econômica, segundo o ex-presidente do Federal Reserve a história mostra que a economia não está a caminho de uma recessão.

Essa é a conclusão de Greenspan com base no nível de empréstimos contraídos pelas empresas enquanto tomam decisões de investimentos nos próximos meses. O índice mostra que, de forma agregada, as empresas não voltaram a tomar empréstimos de fato desde a crise financeira.

"A economia está enfraquecendo, mas ainda estamos em um período de desalavancagem", disse Greenspan em entrevista recente. Seu escritório reafirmou a perspectiva na quarta-feira. "Nenhuma recessão, pelo menos no último meio século, começou com um período de desalavancagem."

Investimentos

A conclusão de Greenspan se baseia na decisão de investimento tomada há seis meses depois de dividir o valor pelo fluxo de caixa. A abordagem mostra que a quantia que os conselhos corporativos decidem investir em ativos de longo prazo tem sido um "indicador significativo" de investimento, diz.

Especificamente, Greenspan extrai os dados subjacentes das Contas Financeiras trimestrais dos EUA, uma publicação estatística espessa do Fed também conhecida como Z.1 na nomenclatura de relatórios do banco central.

"Sou cauteloso com as perspectivas de longo prazo e, atualmente, estamos com uma taxa de crescimento anual real de 2% do PIB, mas, no entanto, não parecemos estar entrando em recessão, apesar do crescimento econômico ter desacelerado significativamente", disse Greenspan.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Jeff Kearns Washington, jkearns3@bloomberg.net;Alexandre Tanzi Washington, atanzi@bloomberg.net