PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Uso de aplicativo pode ajudar seguradoras a classificar usuários

Amy Thomson

12/12/2019 10h06

(Bloomberg) -- Aplicativos que permitem pedir um carro para ir ao trabalho ou para as próximas férias provocam uma revolução no segmento de seguro de automóveis, mas também enviam alguns alertas sobre questões de privacidade.

O setor de seguros poderia ter acesso a uma variedade de dados, como a frequência com que um carro é reservado, o tipo de veículo alugado, o destino, a quantidade de tempo entre a reserva e a viagem, a força com que o motorista pisa no freio e a pontualidade e simpatia de uma pessoa.

Startups como Turo e BlaBlaCar acreditam que essas informações poderiam ser usadas para encontrar novas maneiras de avaliar riscos e criar negócios vinculados ao seguro automotivo.

"Não se trata tanto da história de um indivíduo, mas, em um nível agregado de milhões de viagens, existem padrões que realmente preveem riscos", disse Xavier Collins, chefe da Turo no Reino Unido, em entrevista.

O setor de seguro de automóveis, severo e avesso ao risco, lentamente encontra maneiras de usar novos tipos de análise de dados para ajudar na tomada de decisões sobre quem cobrir, quanto cobrar e quais clientes provavelmente deixarão para um concorrente, disse Ingo Blöink, consultor na Alemanha, que foi diretor europeu da Daimler Insurance Services.

Bela adormecida

Uma combinação de telemática que mede o desempenho de um carro e outros registros publicamente disponíveis, juntamente com "dados flexíveis" coletados em particular, podem ser inseridos em um programa para discernir padrões. Isso pode criar uma análise de risco de "microssegmento", que identifica mais precisamente quem tem mais chances de sofrer um acidente ou cometer uma fraude, o que poderia substituir a maioria dos atuários, disse Blöink.

"A indústria é uma bela adormecida que acorda lentamente; eles não perceberam que há um enorme potencial", disse. "Isso mudará completamente a forma como o risco será subscrito nos próximos 10 anos."

A Turo, com sede em São Francisco, e a francesa BlaBlaCar, já possuem acordos especializados com seguradoras - Allianz, Liberty Mutual e Axa - que oferecem produtos personalizados para oferecer cobertura a motoristas que pegaram emprestado o carro de outra pessoa ou usaram o serviço para transportar outra pessoa em seu próprio carro.

As empresas fazem parte de um setor de transporte por aplicativo, liderado por empresas como Uber Technologies e Lyft, que tem desafiado a propriedade e aluguel de carros tradicionais. A plataforma da Turo, por exemplo, permite que usuários emprestem os próprios carros para outras pessoas. Já o BlaBlaCar organiza viagens entre cidades.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net