PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Armadores pedem prêmio em rota de petróleo no Oriente Médio

Serene Cheong, Sharon Cho e Ann Koh

08/01/2020 08h12

(Bloomberg) -- Proprietários de petroleiros estão aumentando as taxas para transportar petróleo em uma rota importante do Oriente Médio em meio ao aumento dos riscos no Golfo após a retaliação do Irã contra os Estados Unidos pelo assassinato de um general.

As tarifas dos armadores para os superpetroleiros que transportam petróleo do Golfo Pérsico para a China estão cada vez mais altas, em alguns casos pelo menos 14% acima das taxas anteriores, de acordo com corretores e traders de petróleo da Ásia. Embora não haja contratos de preços que reflitam os aumentos, os proprietários agora buscam um prêmio para entrar e carregar os petroleiros na região, disseram.

O aumento dos custos na importante rota de transporte mostra como a crescente tensão entre EUA e Irã se espalha pelas cadeias globais de fornecimento de petróleo. É mais um choque a atingir o mercado de frete, que foi abalado no ano passado por sanções contra um dos maiores armadores chineses por transportar petróleo iraniano e pela sabotagem de navios-tanque perto do Estreito de Ormuz - ataques atribuídos ao Irã. Mais recentemente, as taxas de frete subiram devido às novas regras marítimas que exigem o uso de combustíveis menos poluentes em navios.

"A percepção de risco de viajar para o Oriente Médio aumentou e, refletindo isso, as taxas de frete aumentaram de acordo", disse Tilak Doshi, pesquisador visitante do NUS Middle East Institute, em Cingapura, que trabalhou anteriormente na Saudi Aramco e Louis Dreyfus Energy.

Os custos de transporte são normalmente negociados segundo a Worldscale, um padrão do setor que reflete uma porcentagem de uma taxa fixa básica. Os armadores ofereceram tarifas para a rota Oriente Médio-China entre 165 e 180 pontos na Worldscale, de acordo com os corretores e traders de petróleo da Ásia, que não quiseram ser identificados.

No início desta semana, navios para a mesma rota foram fretados provisoriamente entre 140 e 150 pontos da Worldscale, acima dos 122 anteriores aos ataques aéreos dos EUA na sexta-feira.

A tendência de alta pode se infiltrar em outras rotas importantes, como Oriente Médio para a Índia, EUA e Europa. As taxas de fretamento geralmente são negociadas e fixadas usando pontos de uma escala global. Atualmente, a maioria dos custos ainda é negociada em relação à taxa básica de 2019.

A Ásia, a maior região importadora de petróleo do mundo, ainda depende muito do Oriente Médio para seus suprimentos de petróleo, mesmo com a tentativa de diversificação de refinarias da Coreia do Sul, Japão e Índia. Os três maiores produtores da Opep - Arábia Saudita, Iraque e Emirados Árabes Unidos - bombearam mais de 17 milhões de barris de petróleo por dia no mês passado, fornecendo petróleo para refinarias e processadores locais no mundo todo.

--Com a colaboração de Elizabeth Low e Alfred Cang.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Serene Cheong Singapore, scheong20@bloomberg.net;Sharon Cho Singapore, ccho28@bloomberg.net;Ann Koh Singapore, akoh15@bloomberg.net