PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Plantio de árvores contra mudança climática começa localmente

Akshat Rathi

27/01/2020 16h57

(Bloomberg) -- As árvores são uma ferramenta importante para combater a mudança climática: capturam dióxido de carbono, melhoram a biodiversidade e aumentam o nível das águas subterrâneas. O plantio de um trilhão de árvores poderia eliminar dois terços de todas as emissões, segundo cientistas, é por isso que muitos, do Fórum Econômico Mundial a influenciadores do YouTube, lançaram amplos programas desse tipo. Há apenas um problema: a taxa de sucesso de programas típicos geralmente é desanimadora. Muitos acabam sem árvores que sobrevivam até o ponto de maturidade.

Após anos de experimentos, John Leary acredita que encontrou o ingrediente mágico para melhorar os resultados: a população local.

Leary é o diretor executivo da Trees for the Future (TFF), um grupo sem fins lucrativos fundado em 1989 e com sede em Silver Spring, Maryland, nos EUA. Os primeiros milhões de árvores que Leary e sua equipe plantaram eram destinados ao reflorestamento, fornecendo compensações de carbono ou zonas de conservação da vida selvagem. Porém, menos de 5% das árvores sobreviviam sem a supervisão local.

Isso os levou à Forest Garden Approach, que treina agricultores a usarem árvores como meio de melhorar a produtividade de terras degradadas. Agora, a TFF pode plantar cada árvore por apenas 10 centavos de dólar, quadruplicando os ganhos de moradores locais e aumentando as taxas de sobrevivência das árvores. Em vez de liberar carbono usando técnicas como cortar e queimar, agricultores que cultivam os jardins florestais capturam mais de 230 toneladas de dióxido de carbono por 0,40 hectare em um período de 20 anos.

A abordagem da Forest Garden Approach procura primeiro tornar os agricultores pobres mais ricos, em vez de se concentrar no número de árvores plantadas. É uma lição que Leary tirou de seu trabalho anterior como voluntário do Peace Corps, um programa dos EUA destinado a promover o desenvolvimento econômico e social no exterior. "Você precisa envolver as pessoas locais e elaborar projetos que também beneficiem a comunidade local", disse.

Até agora, Leary e equipe trabalharam com agricultores para construir 10 mil jardins florestais, com a estimativa de capturar 2,4 milhões de toneladas de dióxido de carbono ao longo de um período de 20 anos - é como tirar 25 mil carros de estradas dos EUA. Os projetos têm se concentrado quase exclusivamente na África, com grandes programas no Senegal, Quênia e Tanzânia. A TFF geralmente tem como alvo uma região em degradada de um país pobre. A equipe de Leary recruta 100 ou mais agricultores interessados em melhorar suas fazendas e, em seguida, fornece treinamento.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net