PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Argentina avalia estender controle de preços sobre carne bovina

Patrick Gillespie, Jonathan Gilbert e Jorgelina do Rosario

31/01/2020 14h14

(Bloomberg) -- O Ministério da Produção da Argentina que incluir mais cortes de carne bovina ao sistema de controle de preços, em uma tentativa de tornar o produto mais acessível diante da inflação galopante, de acordo com uma autoridade ministerial.

Representantes do governo e da indústria avaliam possíveis adições ao programa "precios cuidados", disse a autoridade, acrescentando que nenhuma decisão foi tomada.

Sob o sistema atual, os preços são controlados para quatro tipos de cortes nos supermercados, permitindo que os açougueiros compensem a perda cobrando mais por outros cortes, o que, por sua vez, permite que pecuaristas recebam preços totais de mercado. Uma expansão do programa pode mudar esse acordo.

Anos de recessão e inflação nas alturas, combinados com fortes exportações e mudanças de hábitos alimentares, reduziram o consumo de carne vermelha ao menor nível em um século na Argentina. No ano passado, o consumo por pessoa caiu para 51 kg, o nível mais baixo desde 1920, de acordo com a Câmara da Indústria e Comércio de Carnes e Derivados da República Argentina (CICCRA).

Mas, na Argentina, tradicionalmente um dos países com maior peso da pecuária, a carne bovina ainda é considerada um item básico, transformando o aumento de preços em questão política para o partido peronista. A inflação no país atingiu 54% no ano passado, a mais alta em quase 30 anos.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Patrick Gillespie Buenos Aires, pgillespie29@bloomberg.net;Jonathan Gilbert em Buenos Aires, jgilbert63@bloomberg.net;Jorgelina do Rosario Buenos Aires, jdorosario@bloomberg.net