PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Traders com dia mais longo do mundo querem trabalhar menos horas

Ksenia Galouchko, William Canny e Jan-Patrick Barnert

05/02/2020 14h16

(Bloomberg) -- Profissionais com alguns dos dias mais longos dos mercados acionários globais gostariam que as sessões fossem mais curtas, segundo pesquisa da Bloomberg News.

Em toda a Europa, 74% dos profissionais de finanças, incluindo operadores, analistas e gestores de fundos, disseram que preferem reduzir a atual sessão das bolsas de 8 horas e meia, que excede o período de negociação nos EUA em duas horas.

Os resultados da pesquisa dão peso a uma proposta de duas associações profissionais para reduzir o horário do mercado por razões que incluem concentração de liquidez nas primeiras e últimas horas de negociação, curto espaço de tempo entre os comunicados de imprensa corporativos e o mercado aberto, necessidade de melhorar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional e diversidade nas empresas financeiras. Em novembro, a Associação de Mercados Financeiros da Europa (AFME) e a Investment Association, dos gestores de ativos do Reino Unido, solicitaram às bolsas que avaliassem uma proposta de reduzir o horário de negociação em 90 minutos.

"Reduzir o horário de negociação melhorará a eficiência do mercado", disse Matthew McLoughlin, sócio e chefe de trading da londrina Liontrust Investment Partners, que também é membro do comitê de negociação buy-side da Investment Association. "Não há benefício específico em esticar a liquidez por um período maior do que o necessário."

Em uma pesquisa informal, a Bloomberg News entrevistou 114 participantes do mercado, com 52% deles em Londres e o restante em outras grandes cidades europeias, incluindo Paris e Amsterdã. Cerca de 66% dos entrevistados eram operadores, 17% gestores de fundos e 16% analistas.

Uma redução do dia de negociação em uma hora é apoiada por 51% daqueles que defendem sessões mais curtas, enquanto 34% gostariam de uma redução de 1 hora e meia. No geral, a abertura do mercado acionário europeu mais tarde seria aprovada por 78% dos entrevistados, e 75% são a favor de encerrar as negociações mais cedo.

Embora não haja grande consenso sobre o horário, a resposta mais frequente, apoiada por 28% dos entrevistados, seria atrasar o horário de abertura do mercado em uma hora, para as 9h, no horário de Londres, e antecipar o fechamento em 30 minutos, para as 16h.

A London Stock Exchange acaba de concluir uma consulta de sete semanas sobre um possível ajuste no horário do mercado e afirma que "apoia fortemente a melhoria da diversidade e da cultura no local de trabalho". Um porta-voz da Deutsche Boerse disse que discutirá as principais implicações de uma mudança dos horários de negociação com acionistas e anunciará sua posição quando apropriado. Representantes da Euronext NV não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

Possível resistência

A proposta de horário reduzido poderia enfrentar resistência de bolsas da Europa continental. Adiar o início da sessão em toda a região pode significar que o mercado acionário alemão abriria apenas às 10h, horário local, e o da Finlândia às 11h, por exemplo.

"Acreditamos que reduzir o horário de negociação não é bom para o mercado, pois reduz as possibilidades de investidores e operadores ativos implementarem suas decisões de negociação", disse Peter Vorrath, chefe de desenvolvimento de negócios e corporativos da SSW-Trading, uma empresa de trading proprietário de Hamburgo, Alemanha.

--Com a colaboração de Beth Mellor, Chiara Remondini, Kit Rees, Michael Msika, Joe Easton, Morwenna Coniam, Lisa Pham, Macarena Munoz Montijano, Hanna Hoikkala e Albertina Torsoli.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Ksenia Galouchko em Moscow, kgalouchko1@bloomberg.net;William Canny Amsterdam, wcanny3@bloomberg.net;Jan-Patrick Barnert Frankfurt, jbarnert3@bloomberg.net