PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Reino Unido dobra aposta em tecnologia de emissões negativas

Mathew Carr e Akshat Rathi

07/02/2020 12h59

(Bloomberg) -- Empresas britânicas aguardam a decisão do governo do Reino Unido de como pretende gastar mais de US$ 1 bilhão em infraestrutura capaz de capturar e enterrar milhões de toneladas de poluição por dióxido de carbono.

Os recursos - 800 milhões de libras - serão destinados ao financiamento parcial de um "cluster" que captura emissões de fábricas e estações de energia até meados desta década. Em uma tentativa de melhorar suas credenciais climáticas, o Partido Conservador fez a promessa de gastar a quantia em seu manifesto antes de vencer a maioria nas eleições gerais de dezembro.

Em 2015, um governo anterior liderado pelos conservadores tomou a surpreendente decisão de suspender uma licitação de captura e armazenamento de carbono, avaliada em US$ 1,4 bilhão. No entanto, não existe caminho para limitar o aquecimento global a níveis toleráveis que não incluam algum uso da tecnologia. Mesmo que toda a eletricidade seja proveniente de fontes renováveis, isso não elimina as emissões de fábricas de cimento e aço - mais de 10% do total global -, que possuem poucas alternativas tecnológicas trabalhando em escala.

No ano passado, o Reino Unido se tornou o primeiro grande país a traçar uma meta de zerar as emissões líquidas até 2050. Pode parecer um longo tempo, mas não é, disse Dominic Nash, analista de serviços públicos do Barclays. Em termos de investimento em projetos de energia, "30 anos são basicamente amanhã".

Os projetos de captura de carbono fariam mais sentido em cinco grandes núcleos de indústrias no Reino Unido, incluindo nos arredores do Rio Humber, Merseyside, Teesside, Runcorn e Grangemouth, de acordo com relatório do grupo de consultoria Element Energy Ltd. Esses locais empregam mais de 90 mil pessoas em empresas químicas e refinarias de petróleo.

--Com a colaboração de Jeremy Hodges e Rachel Morison.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Mathew Carr em London, m.carr@bloomberg.net;Akshat Rathi London, arathi39@bloomberg.net