PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Parte da equipe do Goldman, HSBC volta a escritório em Hong Kong

Cathy Chan e Alfred Liu

11/05/2020 15h39

(Bloomberg) -- HSBC, Goldman Sachs e Barclays Bank permitiram que mais funcionários voltassem a trabalhar nos escritórios em Hong Kong na segunda-feira. A cidade começa a reduzir as restrições de distanciamento social para conter a pandemia de coronavírus.

O HSBC disse que 30% da equipe de Hong Kong pode retornar, de acordo com memorando visto pela Bloomberg News e confirmado por uma porta-voz do banco. O Goldman Sachs tem aumentado gradualmente o retorno e agora 30% dos funcionários trabalham no escritório, ou quase 600 pessoas, disse um porta-voz. No Barclays, cerca de 270 funcionários, ou 60% da equipe, estão trabalhando nos escritórios, de acordo com Anthony Davies, diretor-presidente da filial de Hong Kong.

O centro financeiro asiático, que registrou queda recorde do PIB no primeiro trimestre, começou a reduzir as restrições para reuniões sociais na semana passada e reabrir escolas fechadas em etapas. Hong Kong não registra casos de transmissão local há mais de 20 dias e tampouco mortes relacionadas ao vírus desde meados de março.

"Juntamente com a retomada das atividades comerciais normais em Hong Kong, permitiremos que mais colegas retornem ao escritório a partir da próxima semana e esperamos continuar essa abordagem em fases nas próximas semanas", de acordo com memorando do HSBC de 6 de maio.

Bancos globais com operações em Hong Kong retornam aos escritórios à frente dos colegas europeus e norte-americanos, onde os casos de vírus e mortes continuam aumentando, embora em ritmo mais lento.

O Morgan Stanley planeja permitir que funcionários de Nova York voltem ao trabalho no próximo mês, enquanto o JPMorgan Chase disse que ainda não possui um cronograma por retornar. Como outros grandes bancos, o JPMorgan disse que pode adotar uma abordagem mais cautelosa do que os governos locais, quando de fato os funcionários começarem a voltar.

©2020 Bloomberg L.P.