PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

É muito cedo para obituário do gás de xisto dos EUA, diz AIE

Catherine Ngai, Kevin Crowley e Annmarie Hordern

05/06/2020 07h42

(Bloomberg) -- Apenas algumas semanas após as cotações do petróleo caírem abaixo de zero, o que levou produtores do Texas à Dakota do Norte a fecharem poços, o diretor-executivo da Agência Internacional de Energia alerta que é muito cedo para declarar o fim da indústria de gás de xisto dos EUA.

Mas, embora haja sinais de recuperação do setor de gás de xisto, "levará muito tempo para chegar aos níveis que vimos antes do Covid", disse Fatih Birol na quinta-feira durante a conferência Bloomberg Live Powering Forward: Crude Awakening.

Os preços do petróleo nos EUA se recuperaram das mínimas históricas em abril, para mais de US$ 37 o barril na quinta-feira, impulsionados pela redução da oferta de uma série de produtores americanos e canadenses, bem como pela reabertura de economias fechadas pela pandemia de Covid-19. A produção de petróleo caiu cerca de 700 mil barris por dia desde o fim de abril e aproximadamente 1,7 milhão de barris por dia este ano, segundo dados dos EUA.

"O maior impacto (dos preços) está no gás de xisto", disse Birol. "É muito cedo para escrever o obituário do gás de xisto, porque, com o aumento dos preços, quando chegarem a US$ 40-45, é bem possível que o petróleo de xisto se recupere."

"A tecnologia está aí", disse. "O know-how está aí. A geologia está aí."

Retomada do petróleo

Sinais preliminares de recuperação do setor de gás de xisto já são evidentes. Nesta semana, a EOG Resources, maior produtora de gás de xisto dos EUA, disse que planeja "acelerar" a produção no segundo semestre, enquanto a Parsley Energy, que atua na Bacia Permiana, também está reabrindo poços apenas algumas semanas depois de fechar as torneiras.

Preços mais altos podem resultar em 1 milhão de barris por dia de petróleo retornando ao mercado em junho e julho, de acordo com Scott Sheffield, diretor-presidente da Pioneer Natural Resources. Além disso, custos mais baixos dos serviços, que já mostram baixa de cerca de 20%, podem cair outros 5% a 10% até 2021 se os preços do petróleo e número de plataformas permanecerem nos níveis atuais.

"Não estamos fazendo poços melhores", disse Sheffield. "Mas estamos perfurando esses poços de forma mais barata."

©2020 Bloomberg L.P.