PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Estudo: Mobilidade no emprego de millennials deve cair devido à pandemia

Menos de 30% dos millennials agora esperam mudar de emprego nos próximos dois anos - Getty Images
Menos de 30% dos millennials agora esperam mudar de emprego nos próximos dois anos Imagem: Getty Images

Alexandre Tanzi

25/06/2020 10h31

A mobilidade no emprego - essencial para um mercado de trabalho dinâmico - pode ser vítima da pandemia do novo coronavírus, segundo dados da Deloitte Global Millennial Survey 2020.

Após vários anos de aumento, menos de 30% dos millennials agora esperam mudar de emprego nos próximos dois anos, de acordo com a pesquisa global. Os jovens citaram a necessidade de estabilidade como uma das razões para permanecerem no emprego atual. Outra razão pode ser que os mais velhos desse grupo estão perto dos 40 anos, portanto, a idade pode influenciar as respostas.

A Deloitte pesquisou millennials, nascidos entre janeiro de 1983 e dezembro de 1994, e a geração Z, os nascidos entre janeiro de 1995 e dezembro de 2003.

A parcela dos millennials que disseram que estão aptos a sair em dois anos ou menos caiu de 49% no ano passado para 31%, enquanto a proporção dos que esperam permanecer no emprego atual por cinco ou mais anos aumentou de 28% para 35%. Segundo o Escritório de Estatísticas do Trabalho dos EUA, pessoas nascidas no início dos anos 80 no país mantinham uma média de 8,2 empregos entre 18 e 32 anos.

Os resultados da geração Z mostraram que metade desses jovens gostaria de mudar de emprego em dois anos, abaixo dos 61% do ano passado.

Quando a crise acabar, seis em cada dez entrevistados disseram que gostariam de trabalhar remotamente em vez de se mudar por um emprego, embora a geração Z esteja mais interessada em se mudar. E mais da metade - 56% - de ambos os grupos disse que, se tiver a oportunidade de trabalhar em casa, escolheria morar fora das grandes cidades, onde o custo de vida é menor.