PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Wall Street abre caminho para investidor local em emergentes

Selcuk Gokoluk

25/06/2020 14h09

(Bloomberg) -- A pandemia de Covid-19 tem mobilizado uma onda de riqueza doméstica em mercados emergentes, marcando uma transição histórica que poderia proteger países em desenvolvimento de fluxos especulativos.

À medida que investidores aumentam aplicações em seus mercados domésticos, a parcela de títulos públicos em mãos de investidores internacionais caiu neste ano em 9 das 10 economias emergentes onde a Bloomberg rastreia dados oficiais. As posições estrangeiras no mercado de dívida local de US$ 11 trilhões deverão cair neste ano pela primeira vez desde 2011, segundo dados do HSBC Bank.

Embora a tendência ocorra no contexto de uma das mais profundas retrações de mercados emergentes em gerações, o aumento de compras por agentes locais pode ter impacto positivo. Durante décadas, mercados emergentes têm contado com financiamento externo para rolagem da dívida, deixando-os vulneráveis a um evento que reverte os fluxos. Ao mesmo tempo, a falta de mercados de capitais sólidos em moeda local incentivou empréstimos excessivos no exterior, um fator que sustentou muitas crises e levou ao default da Argentina neste ano.

"Esta é uma mudança estrutural", disse Craig Mercer, que ajuda a administrar US$ 3,1 bilhões como diretor-gerente e diretor de pesquisa da Dalton Investments, com sede em Sydney. "Isso é muito positivo no longo prazo - como os estrangeiros saíram do mercado, investidores domésticos têm sido compradores importantes."

Posições estrangeiras em dívida local da Turquia caíram para uma mínima histórica; na Polônia, essas posições atingiram o nível mais baixo em mais de uma década. Investidores estrangeiros haviam reduzido posições em títulos locais mexicanos em US$ 7,04 bilhões até 15 de junho, a caminho da maior saída trimestral de todos os tempos. Na Índia, a participação deles em títulos públicos caiu quase pela metade neste ano, para apenas 1,8% neste mês.

Rendimentos reais de vários países agora são negativos em meio aos cortes de juros de bancos centrais para ajudar suas economias a superar os impactos da pandemia. O baixo rendimento e enfraquecimento das moedas locais reduzem a atratividade de títulos locais para estrangeiros, mas as compras de investidores locais valorizaram títulos pelo terceiro mês em junho. Isso reduziu as perdas no ano para menos de 1%, em comparação com 4% para títulos globais de alto rendimento, de acordo com os índices Bloomberg Barclays.

Por fim, é provável que as lições da pandemia reforcem a mudança de propriedade em mercados emergentes, à medida que empresas e famílias buscam diversificar seu colchão de proteção reduzindo investimentos tradicionais em ouro ou depósitos bancários e comprando títulos e ações.

"Essa é uma tendência que deve se acelerar nos próximos dois a três anos", afirmou Igor Burlakov, diretor de negócios da corretora Sova Capital, em Londres. "Ainda temos muita riqueza investida em produtos financeiros antigos, como produtos de depósito bancário, e as pessoas se afastarão deles."

©2020 Bloomberg L.P.