PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Covid-19 elimina muitas marcas adoradas por consumidores dos EUA

Matthew Boyle

26/06/2020 14h27

(Bloomberg) -- A legião de fãs veganos da pizza de legumes da marca Amy entrou em pânico.

O produto congelado e sem queijo desapareceu das prateleiras dos supermercados após a Amy's Kitchen concluir que não conseguiria manter o distanciamento social em suas fábricas. Clientes fiéis sobrecarregaram atendentes da Amy com ligações e mensagens.

A pandemia, é claro, tem sido uma dádiva para marcas de consumo conhecidas e caseiras, como os cachorros-quentes Oscar Mayer e cereais Frosted Flakes. Mas existem centenas, talvez milhares, de outros itens que desapareceram. Muitos foram motivados pela necessidade de os fabricantes se concentrarem em fabricar apenas itens mais populares e de movimentação mais rápida; outros foram sacrificados em meio à realidade da Covid-19. O processo é conhecido como "racionalização" da unidade de manutenção estoque, ou SKU, na sigla em inglês. Muitos produtos acabarão voltando às prateleiras, como foi o caso da pizza de legumes, mas outros podem nunca mais retornar aos supermercados.

A General Mills, fabricante do cereal Cheerios e sopas Progresso, reduziu a lista de cerca de 90 sopas quase pela metade, concentrando-se nas 50 mais vendidas. A fabricante de cereais rival Kellogg está "focando nos principais SKUs", disse o CEO Steven Cahillane em 30 de abril. A ConAgra Brands, fabricante das refeições congeladas Banquet, e a Campbell Soup fizeram o mesmo. Enquanto isso, a fabricante de alimentos orgânicos Amy's Kitchen teve que reduzir sua oferta para apenas 71 produtos, abaixo dos 228 anteriores à pandemia.

"Claramente, há um movimento para se concentrar em menos SKUs de alta velocidade", disse Alexia Howard, analista da Bernstein, em teleconferência com investidores.

Reduzir a oferta de produtos pode ser arriscado. Em 2009, o Walmart tentou retirar milhares de itens das prateleiras para reduzir a desorganização em seus supercentros. A estratégia, chamada "Project Impact", foi um fracasso, pois muitos consumidores, sem conseguir encontrar seu molho favorito, simplesmente escolheram outro lugar para fazer compras, reduzindo as vendas e participação de mercado do Walmart. Alguns anos depois, o Walmart reverteu a decisão.

©2020 Bloomberg L.P.

Economia