PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

China suspende importações de carne de mais frigoríficos

Bloomberg News

30/06/2020 11h07

(Bloomberg) -- A China suspendeu na segunda-feira importações de carne de mais frigoríficos, aumentando incertezas nos mercados agrícolas globais ao sugerir um possível vínculo entre a propagação de coronavírus e alimentos.

Autoridades alfandegárias suspenderam importações de frigoríficos em países como Brasil, Canadá e Alemanha, segundo aviso publicado no site do departamento. Embora a China não tenha fornecido um motivo para a suspensão, a maioria - se não todos - dos frigoríficos tinha uma coisa em comum: surtos de Covid-19.

O país asiático tomou medidas inesperadas nas últimas semanas, provocando polêmica quando empresas chinesas pediram a fornecedores de alimentos do mundo todo que assinassem um documento atestando que suas cargas atendem aos padrões de segurança, uma garantia de que não estejam contaminadas pelo vírus. Países exportadores e agências reguladoras criticaram a medida, declarando que não há evidências que vinculem infecções aos alimentos.

"É uma pena que tenhamos acabado nessa situação", disse Lars Albertsen, responsável por vendas globais da Danish Crown Pork, que teve uma unidade na Alemanha suspensa. "Infelizmente, a menção dos testes aparentemente positivos na semana passada já significou que autoridades chinesas interrompessem a exportação de carne de porco da unidade de abate" com casos, disse.

A medida segue um surto em Pequim que inicialmente foi atribuído a uma tábua de cortar usada por um vendedor de salmão importado. A Comissão Nacional de Saúde do país disse que não há evidências de que o peixe seja a origem ou o hospedeiro intermediário do vírus, mas ainda assim o salmão foi retirado dos principais supermercados. O departamento da alfândega da China não respondeu a um fax com pedido de comentários.

Testes negativos

A Danish Crown disse que quatro funcionários de sua unidade de abate em Essen, na Alemanha, que testaram positivo para coronavírus na semana passada, deram negativo em testes posteriores. Agora, a empresa faz todo o possível para enviar a informação às autoridades chinesas e restabelecer o comércio, disse Albertsen.

Também houve suspensão dos embarques de frigoríficos nos Países Baixos e Brasil.

O Ministério da Agricultura holandês disse que as quatro unidades suspensas no país não eram fonte de contaminação.

Já o governo brasileiro pediu à China que explicasse as razões para as suspensões e iniciou negociações para que as proibições possam ser derrubadas, informou o Ministério da Agricultura por e-mail.

A China pediu ao ministério informações sobre unidades exportadoras que enfrentam surtos de coronavírus divulgados pela mídia, informou o ministério. Autoridades brasileiras responderam a todos os pedidos da China e disseram reforçar que as decisões sobre eventuais suspensões precisam ser baseadas em informações científicas.

A alfândega chinesa não aceitará nenhum pedido de importação para entrega a partir da data de início da suspensão.

Fonte: Administração Geral das Alfândegas da China

©2020 Bloomberg L.P.