PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Covid leva mais jovens adultos dos EUA de volta à casa dos pais

Alexandre Tanzi e Maeve Sheehey

07/07/2020 19h08

(Bloomberg) -- A paralisação de faculdades induzida pela pandemia, a falta de oportunidades para recém-formados e as limitadas opções de emprego estão exacerbando uma tendência em que mais jovens adultos estão morando com seus pais e avós.

"Se 2020 fosse como os três anos anteriores, eu esperaria que 21,9 milhões deles morassem com seus pais", mas em vez disso, existem 24,8 milhões nessa situação, "um aumento de 2,9 milhões em relação ao número esperado", conforme postou na segunda-feira em seu blog o sociológo Philip Cohen, da Universidade de Maryland.

Utilizando dados da atual pesquisa populacional do Departamento do Trabalho, Cohen descobriu que os maiores aumentos ocorreram entre homens de 21 anos e mulheres de 20. Houve um aumento acentuado no caso de jovens adultos negros, de acordo com o post de Cohen. Quase 60% dos jovens adultos negros estão morando com pais ou avós, a maior parcela de qualquer grupo de raça e gênero.

"Os grupos mais jovens foram duramente atingidos pela pandemia. Muitas das perdas de emprego ocorreram nos setores de lazer e hospedagem, no varejo, os quais empregam muitos jovens", afirmou Ryan Sweet, chefe de pesquisa de política monetária da Moody's Analytics. Portanto, o impacto da recessão foi desproporcional, segundo ele.

Nos últimos meses, especialmente os homens foram forçados a deixar seus empregos repentinamente, à medida que a crise da saúde fragilizou um mercado de trabalho que antes era sólido.

"Pesquisas futuras terão de determinar quais das muitas possíveis interrupções nas vidas deles estão guiando isso", disse Cohen.

©2020 Bloomberg L.P.