PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

UE mira Alexa e Siri em investigação sobre internet das coisas

Aoife White

16/07/2020 13h10

(Bloomberg) -- Assistentes de voz como Siri, da Apple, e Alexa, da Amazon.com, estão no centro de uma investigação antitruste da União Europeia sobre como o Vale do Silício usa dados para ganhar controle em mercados em expansão.

Reguladores da UE já veem sinais de que gigantes de tecnologia podem estar restringindo o acesso a dados ou fabricando produtos que não funcionam bem com os de outras empresas, disse a Comissão Europeia em comunicado divulgado na quinta-feira para anunciar a investigação sobre a chamada internet das coisas.

"Uma vez que as grandes empresas usam seu poder, podem empurrar muito, muito rapidamente, os mercados para além do ponto crítico, onde a concorrência se transforma em monopólio", disse a repórteres a comissária de defesa da concorrência da UE, Margrethe Vestager, em Bruxelas. "Se não agirmos a tempo, há um sério risco de que isso aconteça novamente com a internet das coisas", disse.

Os assistentes de voz são "o centro de tudo", afirmou. "Pode ser a Siri da Apple, o assistente do Google, a Alexa da Amazon." Um assistente de voz "muda a maneira como você interage com as coisas", porque os usuários podem "ter uma opção" apenas em vez da escolha completa de produtos que teriam em uma loja, disse.

A comissária citou os rastreadores de saúde, onde há uma análise em andamento sobre a aquisição do assistente de dados de saúde Fitbit pelo Google. A investigação anunciada na quinta-feira também incluirá geladeiras, máquinas de lavar, smart TVs e iluminação conectados.

A UE buscará informações de cerca de 400 empresas em todo o mundo. E planeja publicar um relatório preliminar na primavera de 2021 e apresentar conclusões finais no verão de 2022 no hemisfério norte.

A Amazon não comentou. O Google, controlado pela Alphabet, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. A Apple não quis comentar imediatamente.

Uma investigação do setor pode coletar dados de milhares de empresas, permitindo que a UE identifique questões específicas e inicie outras investigações. Uma investigação sobre as práticas de vendas da Amazon surgiu de uma análise sobre comércio eletrônico. A abordagem da Apple para o serviço de streaming de música Spotify Technology já é foco do escrutínio da UE.

A investigação não cobre carros conectados, segmento sobre o qual reguladores foram solicitados a investigar dados automotivos e analisar queixas sobre licenciamento de patentes de tecnologia para montadoras.

©2020 Bloomberg L.P.