PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Profissionais que deixam Hong Kong enfrentam mercado desafiador

Vinicy Chan, Fion Li e Alfred Liu

28/07/2020 15h55

(Bloomberg) -- Depois de vários anos ponderando os prós e os contras de sair Hong Kong, "Lee" decidiu mudar para o Canadá. Embora não tenha um emprego encaminhado e esteja preparada para pagar impostos mais altos, além de enfrentar invernos rigorosos pela primeira vez, está disposta a arriscar.

"Estou preocupada com minhas perspectivas de emprego no Canadá? Claro que estou preocupada", disse a diretora de compliance de uma grande empresa financeira global que pediu que seu primeiro nome não fosse revelado. "A economia não está uma maravilha, e as empresas estão congelando o número de funcionários. Posso dizer que este é provavelmente o pior momento para migrar."

À medida que a China reforça seu domínio sobre Hong Kong com uma nova lei de segurança, residentes que consideram escapar avaliam os sacrifícios. Com a economia global mergulhada na pior recessão em quase um século, é difícil encontrar empregos e países têm colocado restrições nas fronteiras. Nem todas as habilidades, idiomas e contatos que os ajudaram a prosperar no centro financeiro asiático vão embarcar. E destinos preferenciais como Canadá, Austrália e Reino Unido cobram impostos três vezes mais altos.

"Só porque você teve sucesso em Hong Kong, fazendo um certo trabalho, não significa que haverá apetite por seu conjunto de habilidades ou experiência em outro país", disse John Mullally, diretor regional da Robert Walters, responsável por recrutamento no setor financeiro para o sul da China e Hong Kong. "É, provavelmente, um dos piores momentos da nossa história para chegar a um novo país e esperar conseguir um emprego."

Os desafios não impedem pessoas como Lee. Ela já comprou uma casa em Toronto e planeja mudar em outubro, deixando um emprego que paga mais de 1 milhão de dólares de Hong Kong (US$ 130 mil) por ano. Lee, com 30 anos, e seu marido solicitaram visto pela primeira vez em 2014 como plano de backup, caso as coisas piorassem. Em sua opinião, pioraram, e a lei de segurança foi a gota d'água.

©2020 Bloomberg L.P.