PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Google negocia com Samsung maior controle sobre buscas

Mark Bergen e Sohee Kim

29/07/2020 08h02

(Bloomberg) — O Google, da Alphabet, e a Samsung Electronics negociam um grande acordo que daria aos produtos da gigante de tecnologia dos EUA mais proeminência nos smartphones da empresa sul-coreana, de acordo com correspondência vista pela Bloomberg News.

As negociações envolvem dar ao Google maior controle sobre as buscas em aparelhos da Samsung globalmente. A Samsung é a maior fabricante de smartphones do mundo, tendo vendido perto de 300 milhões de telefones no ano passado. O Android do Google já é o sistema operacional subjacente nos dispositivos Galaxy, mas um possível acordo promoveria o assistente digital do Google e a Play Store para aplicativos nesses dispositivos, segundo uma pessoa informada sobre o assunto.

Isso daria à gigante da Internet dos EUA acesso diário mais valioso aos usuários da Samsung e significaria que os serviços móveis da empresa coreana, como o assistente digital Bixby, seriam menos integrados em seus próprios aparelhos, de acordo com a correspondência. A medida seria um passo atrás para a Samsung, mas a queda da demanda por aparelhos móveis durante a pandemia de Covid-19 aumentou a necessidade de receita da empresa e enfraqueceu sua posição de negociação com um parceiro-chave.

"Como todos os fabricantes de aparelhos Android, a Samsung é livre para criar sua própria loja de aplicativos e assistente digital", disse um porta-voz do Google em comunicado por e-mail. "Esse é um dos grandes recursos da plataforma Android. E, embora conversemos regularmente com parceiros sobre maneiras de melhorar a experiência do usuário, não temos planos de mudar isso."

"A Samsung continua comprometida com nosso próprio ecossistema e serviços", disse um porta-voz da Samsung. "Ao mesmo tempo, a Samsung trabalha em estreita colaboração com o Google e outros parceiros para oferecer as melhores experiências móveis para nossos usuários."

A Samsung não abrirá mão desse valioso ativo digital gratuitamente. Não foi possível confirmar os termos de um possível acordo. No entanto, o Google paga bilhões de dólares a cada ano para ser a ferramenta de busca padrão no navegador Safari do iPhone e em outros aparelhos da Apple.

Google e Samsung têm uma parceria tensa, mas bem-sucedida, por meio do Android, o sistema operacional móvel do Google. A gigante da web fornece o software básico de graça, mas anteriormente exigia que os fabricantes de hardware pré-instalassem o aplicativo da Play Store e um conjunto de produtos comerciais, como Search, Chrome e YouTube. Em troca, o Google às vezes concorda em compartilhar a receita de publicidade com os fabricantes.

A Samsung tentou desenvolver serviços para seus smartphones, incluindo uma alternativa para o Android, que foi chamado inicialmente de Bada OS, que depois foi combinado com outro software móvel no projeto Tizen, mas sem sucesso. O Bixby, rival do Google Assistant, também não decolou. Ao longo dos anos, a empresa reduziu os aplicativos e serviços sobrepostos em seus aparelhos, mas ainda tem alguns vestígios de esforços anteriores para enfrentar mais ativamente o pacote de aplicativos do Google.

A Samsung vendeu 58 milhões de smartphones no primeiro trimestre, de acordo com a consultoria IDC. Embora o volume tenha superado as vendas de todos os fabricantes, a pandemia de Covid-19 prejudicou o comércio de aparelhos, e a empresa tem que contar com outras fontes de receita.

©2020 Bloomberg L.P.