Bolsas

Câmbio

Violações à liberdade de imprensa aumentaram 23% na Colômbia em 2015

Bogotá, 8 fev (EFE).- As violações da liberdade de imprensa na Colômbia aumentaram 23% em 2015, ano em que foram registradas 179 agressões, incluindo três assassinatos, segundo um relatório publicado nesta segunda-feira pela Federação Colombiana de Jornalistas (Fecolper).

Segundo a Fecolper no estudo publicado na véspera do dia do jornalista no país, houve um aumento de 23% em relação ao ano 2014, no qual aconteceram 145 casos, acrescentou a informação.

Das 179 violações à liberdade de imprensa do ano passado, três foram os homicídios de Luis Peralta Cuéllar, em El Doncello, município do departamento de Caquetá; Edgar Quintero, em Palmira (Valle del Cauca) e Flor Alba Núñez, em Pitalito (Huila), todos aparentemente "relacionados com o exercício de seu trabalho".

A maior quantidade de agressões foram as ameaças individuais ou coletivas (68), seguidas de obstrução ao exercício jornalístico (39), agressão física (24), estigmatização e campanha de desprestígio (15), ataques verbais (11) e ataque a meios de comunicação (4), entre outros.

Os supostos responsáveis dos casos são particulares (29%), autores desconhecidos (22%), membros da polícia (12%), funcionários públicos (6,1%) e grupos criminosos nascidos após a desmobilização dos grupos paramilitares (3%).

"O que demonstram os números é que além das agressões aos jornalistas ocorridas com ocasião do conflito armado interno, atualmente existem, predominam e se consolidam outras formas de violência contra quem exerce a atividade jornalística", informou a Fecolper.

Em 2016, a Federação Colombiana de Jornalistas documentou 15 casos de violação da liberdade de imprensa no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos