Bolsas

Câmbio

Craig Wright abre uma nova era ao se identificar como criador da "bitcoin"

Judith Mora

Londres, 2 mai (EFE).- O empresário australiano Craig Wright encerrou nesta segunda-feira anos de incertezas ao se identificar como Satoshi Nakamoto, o criador da "bitcoin", o que abre uma nova era para as transações nesta moeda digital.

Wright fez a sensacional revelação em um novo blog, www.drcraigwright.net, no qual afirma que "Satoshi morreu", e a vários meios de comunicação britânicos - "BBC" e as revistas "The Economist" e "GQ"-, aos quais demonstrou fisicamente que ele criou a criptomoeda e sua plataforma de operações, "blockchain".

A "bitcoin" é um ativo digital administrado através de um sistema de pagamento próprio inventado por Wright sob o pseudônimo de Nakamoto, que divulgou a criação em 2008 e, em 2009, abriu o software ao público, que pode operar com a moeda sem intermediários.

Calcula-se que há em circulação na internet 15,5 milhões da divisa -que, no entanto é legal e não é regulada por nenhum banco central-, com um valor equivalente a US$ 449 a unidade.

No blog, Wright antecipou que, ao revelar a origem e detalhes de seu projeto, sua intenção é "criar um fórum sobre 'bitcoin' para dissipar os mitos e liberar seu potencial para mudar o mundo para melhor".

Wright também explicou o processo para a verificação de uma série de pistas que demonstram que ele é o criador do sistema que sustenta a pioneira moeda digital.

Wright fez uma demonstração à rede pública britânica "BBC", que hoje publicou um vídeo em seu site.

Assim, para provar sua identidade, o empresário, nascido em Brisbane (Austrália) em 1970 e analista em criptodivisas, assina digitalmente mensagens com chaves criptografadas durante o início do desenvolvimento da "bitcoin".

Estas chaves estão indissoluvelmente ligadas a blocos da moeda que pertenciam a Satoshi Nakamoto, o que demonstraria que são a mesma pessoa.

"Estes são os blocos utilizados para enviar 10 'bitcoins' a Hal Finney em janeiro (2009), a primeira transação com 'bitcoin", explicou Wright durante a demonstração.

Hal Finney, precisa, é um dos engenheiros que o ajudou a transformar sua ideia no protocolo "bitcoin".

"Eu era a parte principal, mas outras pessoas me ajudaram", manifesta o empresário, formado além disso em Física nuclear e Química e doutor em Teologia.

Em outras declarações à "BBC", sua identidade foi corroborada pelo economista Jon Matonis, fundador da Fundação bitcoin.

"Durante as demonstrações em Londres, tive a oportunidade de revisar os dados pertinentes em três linhas distintas: criptográfica, social e técnica", afirma.

"Estou convicto de que Craig Wright satisfaz essas três categorias", assegurou.

A suposta identidade do inventor da "bitcoin" foi foco de múltiplas investigações da imprensa nos últimos anos.

Em dezembro de 2015, as revistas "Wired" e "Gizmodo" identificaram Wright como o possível criador, após receberem documentos que o vinculavam ao projeto.

Após publicar essa informação, a polícia australiana revistou sua casa e seu escritório em Sydney, em uma operação que não tinha a ver com a criptomoeda, mas com outros assuntos de pagamento de impostos.

Sobre esta operação, Wright disse à "BBC" que está cooperando com as autoridades. "Tenho os advogados negociando com eles sobre quanto tenho que pagar", declara.

Durante a entrevista, Wright assegurou que não quer "fama e nem dinheiro", mas "seguir trabalhando".

O inventor explicou que teve que se revelar, embora não fosse sua intenção, para evitar que circulem mais "histórias fabricadas" que, segundo disse, estão ferindo as pessoas que quer.

"Não fiz isso porque é o que queria. Não é minha escolha. Não quero ser o rosto público de nada", incide.

Segundo a "BBC", "Satoshi Nakamoto" chegou a ter mais de um milhão de "bitcoins", que, se fossem transformadas em dinheiro, lhe dariam uma fortuna de US$ 450 milhões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos