IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

FMI avalia como 'positivas' medidas econômicas anunciadas por governo Temer

Andressa Anhole/AFP
Imagem: Andressa Anhole/AFP

2016-05-19T16:05:00

2016-05-19T18:38:02

19/05/2016 16h05Atualizada em 19/05/2016 18h38

Washington, 19 mai (EFE).- O FMI (Fundo Monetário Internacional) avaliou como "positivas" as medidas anunciadas pelo governo interino do Brasil, especialmente por enfatizarem conter o crescimento da dívida pública em um período que classificou como "difícil" para o país.

"Claro, esperamos que as reformas econômicas muito necessárias possam ser aplicadas com prontidão para ajudar o Brasil a superar o atual contexto difícil", afirmou o porta-voz do órgão, Gerry Rice, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (19).

"Achamos que os anúncios feitos pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foram positivos", completou Rice.

Meirelles indicou que a prioridade do governo será reduzir o rombo fiscal e a dívida pública, que classificou como "insustentável". Uma das primeiras medidas tomadas foi o corte de 4.000 cargos comissionados até o fim deste ano.

"O FMI tem afirmado, de forma repetida, que o Brasil deveria fortalecer a macroeconomia, algo essencial para o retorno da confiança e do investimento, e isso inclui metas de inflação e responsabilidade fiscal", afirmou Rice aos jornalistas.

"Nesse sentido, damos boas-vindas à ênfase do ministro Meirelles sobre a necessidade de estabilizar a trajetória da dívida e preservar o sistema de seguridade social por meio de reformas que garantirão a sustentabilidade financeira a longo prazo", indicou.

No entanto, o chefe da equipe econômica de Michel Temer antecipou que as medidas mais duras, dentro do "importante plano de ajuste" que está sendo preparado, terão de esperar até que o novo governo conheça a real situação deixada pela presidente afastada Dilma Rousseff.

Governo estuda aposentadoria aos 65 anos para homem e mulher, diz Meirelles

SBT Online

Mais Economia