Em período de queda de vendas, Apple se prepara para revelar novos iPhones

Los Angeles (EUA.), 6 set (EFE).- Um misterioso convite enviado na semana passada à imprensa, com círculos de cores sobre um fundo negro, foi a maneira usada pela Apple para anunciar o lançamento de seus novos produtos, em evento que ocorrerá nesta quarta-feira no Auditório Bill Graham, em San Francisco (Califórnia).

"Vejo você no dia 7" foi a breve mensagem do convite da companhia, que apresentará ao mundo os sucessores do iPhone 6S e 6S Plus, possivelmente chamados de iPhone 7 e iPhone 7 Plus, e a segunda versão do Apple Watch, o relógio inteligente da empresa.

Segundo os rumores, eles terão poucas diferenças de design em relação à última geração, mas ganharão uma nova cor - um tom de diferente de negro. As telas continuam com 4,7 e 5,5 polegadas, porém, o smartphone deve ganhar tecnologia IPX 7, resistente à água, mas não capaz de evitar danos se passar muito tempo submergido.

Há duas grandes novidades. A câmera, que deve ter duas lentes no maior modelo, é a principal delas. Na versão 7 Plus, além disso, ela ganhará estabilização ótica, sensores de proximidade e ambiente, e quatro luzes de LED, segundo vazamentos divulgados pelo analista da KGI Securities Ming-chi Kuo, divulgadas por sites especializados.

O analista, que construiu um histórico confiável de informações internas da empresa nos últimos anos, também antecipou que os novos dispositivos terão capacidade mínima de armazenamento de 32 gigabytes (contra os 16 atuais) e terão variantes de 128gb e 256gb.

Além disso, o iPhone 7 Plus terá 3gb de memória RAM, enquanto o modelo menor terá 2gb. Ambos contarão com o novo processador A10.

Outra das novidades envolve o fone que acompanha o aparelho. Todos dão como certo a eliminação da saída de som P2, mas divergem sobre qual equipamento virá dentro da caixa dos iPhones. Kuo, por exemplo, aposta que a Apple optou por uma versão "lightning" dos atuais EarPods, que utilizaria a entrada usada para recarregar o aparelho para conectar o fone. Outros acreditam nos novos "AirPods", sem fio e com tecnologia bluetooth.

Alguns rumores dos sites especializados de tecnologia apostam em mudanças no botão início, que deixaria de ser físico e se tornaria capacitivo, integrado à tela do iPhone. Dessa forma, ele funcionaria utilizando o sistema de pressão "Touch 3D", lançado pela empresa na versão anterior do aparelho.

A grande dúvida gira em torno da capacidade das baterias que, de acordo com os rumores, devem ser as mais desenvolvidas até o momento, aproveitando de uma melhor utilização do espaço interno.

O evento chega para a Apple em um momento sensível. Os lucros da empresa caíram 27% no terceiro trimestre do ano fiscal - finalizado no último dia 25 de junho -, para US$ 7,8 bilhões, um resultado provocado pela queda nas vendas dos iPhones.

Foram vendidos 40,4 milhões de iPhones no trimestre contra os 47,5 milhões do mesmo período de 2015. A diminuição provocou uma contração de 14,6% nas receitas, que totalizaram US$ 42,3 bilhões, frente aos US$ 49,6 bilhões do período anterior.

O iPhone representa aproximadamente dois terços do total de vendas da Apple, por isso todas as atenções estarão sobre as novas versões do smartphone. Mas já se espera que a grande atualização do aparelho ocorra em 2017, quando o produto completará 10 anos.

Sem grandes surpresas em seu "carro-chefe", a Apple também lançará o Watch 2, a segunda versão de seu relógio inteligente, anúncio que seguirá o iPhone, pelo menos em termos de design.

Poucas mudanças são esperadas na parte externa do produto, que, porém, deve ganhar muitos novos sensores internos, como GPS. Alguns rumores indicam a presença de um barômetro, instrumento que indica a pressão atmosférica, a altitude e pequenas mudanças de tempo.

Os sites especializados também cogitam novidades nas linhas de notebooks da empresa. Uma grande atualização do MacBook Pro, que ganharia uma tela de OLED acima do teclado, parece ter sido descartada temporariamente pela empresa. Mas há quem aposte em atualizações de hardware dos MacBooks Pro e MacBooks Air.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos